Afinal, o que é SERVIR?

Por Maiara Miotti Cunha

No dia 09/05, o Clã Pioneiro Santos Dumont realizou sua atividade semanal rotineira durante a quarentena através de uma videochamada. Nesta ocasião, o tema central do fim de semana foi uma competência de caráter, com o seguinte item: “Ler e debater com seu clã, ou com outros clãs, usando a bibliografia escoteira recomendada para o Ramo, sobre o verdadeiro significado de ser pioneiro e do lema ‘Servir’, e sugerir formas variadas e interessantes de ação no momento atual”.

O Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa define como “servir” um verbo de significados como:

  1. Ajudar, auxiliar;
  2. Prestar serviços;
  3. Ser favorável, favorecer.

Dentro do escotismo e do clã pioneiro, o lema do ramo remonta a um acontecimento histórico. Em 1346, na Batalha de Crécy (Guerra dos Cem Anos), o rei João Luxemburgo, da Boêmia, foi morto em combate após vitória da Inglaterra. Sua nobreza e dedicação surpreenderam Eduardo, o Príncipe Negro, de Gales, que retirou seu escudo do local e o preservou com três plumas de avestruz, em formato semelhante a uma flor de lis. Nesse mesmo escudo, constava a inscrição ICH DIEN (“eu sirvo”, do alemão antigo), que inspiraria Baden Powell a considerar a herança dessas palavras como digna de ser portada por todos aqueles que demonstram com honra o espírito de ser um verdadeiro pioneiro.

Por sua vez, “pioneiro”, segundo o livro Clã Pioneiro em Ação, diz respeito àquele que:

  1. Pratica o serviço aos outros como uma forma de construir um mundo melhor;
  2. Viaja pelo mundo para conhecer e transformá-lo e, nesse processo, também se transforma;
  3. Compromete-se a viver os valores da Promessa e Lei escoteiras.

Em 1917, Baden Powell usou o termo “roover” para denominar o novo ramo que incentivava os jovens a manterem vínculos com o escotismo por iniciativa própria e a delinear projetos para suas vidas. A ideia expandiu-se até que em 1922 foi publicado o livro “Roovering to Success”. No Brasil, foi traduzido por Bonifácio Antônio Borba e lançado em 1939 com o nome “Caminho para o sucesso”, no qual recebeu a denominação de ramo pioneiro.

Com a apresentação desses conceitos, bem como a aplicação de diversas dinâmicas relacionadas ao tema, o clã conseguiu criar um momento interessante de troca de experiências pessoais e percepção do impacto dos valores escoteiros (ou mais especificamente, pioneiros) diariamente na construção de vidas e de um mundo melhores. Ao que diz respeito na última linha sobre “formas variadas e interessantes de ação no momento atual”, foi proposto um desafio pelos organizadores da atividade de 7 metas, uma para cada dia da semana, com pequenos gestos a serem feitos em tempos de pandemia, mas que demonstram da mesma forma o verdadeiro significado de “Servir”.

Referências:

O LEMA PIONEIRO. Disponível em: http://grupoescoteirojabuti.org.br/index.php/pioneiros/a-mistica-do-cla/o-lema-pioneiro/. Acesso em: 19 maio 2020.

 

RAMO Pioneiro. Disponível em: https://www.escoteiros.org.br/ramo-pioneiro/. Acesso em: 19 maio 2020.

CLÃ Pioneiro em Ação. 2018. Documento oficial elaborado pela União dos Escoteiros do Brasil. Disponível em: https://www.escoteiros.org.br/wp-content/uploads/2019/06/Cla_pioneiro_em_acao.pdf. Acesso em: 19 maio 2020.

 

QUARENTENA

 

Por Alice de Souza Rocha e Murilo de Souza Rocha

Devido ao Corona vírus, qualquer atividade que requer aglomeração de pessoas em lugares fechados foi suspensa e as recomendações exigem que evitemos sair de casa sem um motivo de extrema necessidade. Porém, mesmo de quarentena, as atividades do escoteiro não pararam e os chefes estão a todo vapor para proporcionar as atividades online para os jovens não ficarem à toa em casa.

Algumas das atividades são como danças de rede social (tik tok). Também fazemos atividades em chamada de vídeo com nossos parceiros de patrulha fazendo músicas escoteiras , gravamos vídeos completando músicas que os chefes da nossa sessão nos propõe, desenhamos o  nome da patrulha cada um fazendo uma letra com o nariz.

Jogo da cidade virtual – Minha patrulha pelo mundo

Por Mariana de Castro Estevam

Estamos em casa, mas isso não nos impede de ter a nossa rotina normal do fim de semana, não é mesmo, escoteiros? E no sábado dia 02 de maio tivemos o Jogo da Cidade Virtual!

Isso mesmo, foi um jogo da cidade de forma virtual, tendo a participação de 110 jovens, 25 patrulhas, organizadas em 19 equipes, e 21 escotistas! Muita gente!

Participaram as tropas escoteiras Titan, Senta a Púa e Fênix do GE Santos Dumont, Escorpion do GE Pedro Macedo, Cosmos do GE Marechal Rondon, Tapejara do GE Tapejara e a tropa Ninho das Águias do GE Ar Thalia.

A atividade consistia em uma competição entre patrulhas, bem divertida! A chefia se superou ao elaborar as atividades, que estavam muito interessantes. Foi muito legal conhecer outros escoteiros, principalmente para mim, que estou em período introdutório na tropa Titan.

As bases foram espalhadas pelo mundo, com o tema história e curiosidades sobre o escotismo!

A aventura começou pela Ilha de Brownsea, onde recordamos o primeiro acampamento escoteiro, conhecemos a pedra comemorativa e ainda “reinventamos” os artigos da lei escoteira com emojis. Seguimos para o continente africano, que foi fonte de inspiração de BP para várias coisas, entre elas o aperto de mão escoteiro. Foi lá, também, onde nosso grande chefe viveu seus últimos dias.

Viajamos até Kandersteg, na Suíça para conhecer o jamboree permanente – uma oportunidade para relembrarmos nossos melhores momentos no escotismo! Encontros mundiais foi, também, assunto para West Virginia, onde o desafio foi conhecer distintivos dos jamborees mundiais e sonhar com nossa possível participação no próximo encontro, na Coreia do Sul. Cabo Canaveral foi cenário para praticarmos nossas habilidades artísticas com a reprodução da chegada do homem à lua (ou seria mais apropriado dizer, chegada dos escoteiros? *).

Capadócia na Turquia esteve no nosso roteiro para prestarmos nossa homenagem ao padroeiro dos escoteiros, São Jorge, que nos deixou um bonito exemplo: serviço ao próximo com empenho, dedicação e com o coração alegre. E na índia, fomos atrás da origem do jovem Kim, quem nos inspira a praticarmos nossas habilidades de observação.

Finalmente a aventura desembarcou no Brasil! Primeira parada em Matozinhos, Minas Gerais, e ali conhecemos a bravura do chefe Marcelo Diniz, reconhecido com a medalha Cruz de Valor Caio Vianna Martins em 2019. No litoral, na cidade de Antonina assistimos a história dos jovens escoteiros que fizeram uma grande jornada para defender sua cidade, tal como assumimos em nossa promessa escoteira. E a parada final: Curitiba, com a celebração da fraternidade escoteira entre cinco grupos escoteiros que celebraram a amizade em mais uma grande atividade escoteira.

O resultado da competição? Primeiro lugar para a “Fraternidade Escoteira”; o segundo para “Amamos o escotismo”; e o terceiro foi para “Quando será o próximo encontro?”

Nesse momento, que é muito delicado com toda essa situação que estamos vivendo, precisamos nos cuidar. Porém isso não impede de estarmos juntos (via internet, claro), até mesmo nas atividades escoteiras!

Então esperamos que todos estejam se cuidando e se protegendo, para que logo estejamos juntos novamente. J

Sempre Alerta!

Gostou tanto da atividade que gostaria de recordá-la? Assista as cerimônias de abertura e encerramento em:

https://www.facebook.com/escoteirospr/videos/659496441300297/

https://www.facebook.com/escoteirospr/videos/1244995659178381/

* Dos doze astronautas que até hoje pisaram na Lua, onze foram escoteiros.

Gincana solidária online

No dia 18/04, o Clã e a Sênior do GESD fizeram uma gincana solidária online, organizada pelas pioneiras Luísa Secco e Maria Luísa Kovalhuk, com jogos, dinâmicas e conversas para falar sobre a quarentena e desmistificar algumas coisas sobre o novo coronavírus e a COVID-19.

Para encerrar a gincana, pedimos para quem pudesse, que enviasse doações em dinheiro à campanha Toda Vida Importa, organizada pela Liga Brasileira de Lésbicas do Paraná em conjunto com outros coletivos e ativistas autônomos. Nossa meta era de 10 cestas. O resultado foi surpreendente e muito positivo: Clã e Sênior conseguiram arrecadar juntos R$800, ou seja, 16 cestas básicas que serão distribuídas pela LBL-PR para as pessoas em necessidade de Curitiba e Região Metropolitana. Estamos muito felizes por termos participado da campanha e ajudado quem precisa durante esse período difícil. SAPS!

Desafio da Natureza das Cidades

Por Bruna Pioli e Carol Dias

O artigo 6 da Lei Escoteira diz que o escoteiro é bom para os animais e as plantas. Isso mostra como o Movimento é envolvido com o meio ambiente e como os jovens estão conscientes da importância da fauna e da flora para o planeta Terra. Porém, será que mesmo com a COVID-19 e a recomendação de ficar em casa, os jovens estão em contato com a natureza? Os jovens do Grupo Escoteiro Santos Dumont certamente estão!

Durante os dias 24 e 27 de abril todas as seções foram convidadas a participar do Desafio da Natureza das Cidades. O objetivo era fazer um levantamento da biodiversidade urbana e conseguir o maior número de registro de espécies de plantas, animais e fungos das áreas urbanizadas. Quatro cidades do Brasil foram convidadas a participar desse desafio e Curitiba estava entre uma das escolhidas.

Foram mais de 200 fotos enviadas juntando a Tropa Titan e o Clã Pioneiro! Portanto, a participação do GESD foi importantíssima para o Desafio e o principal: para fortalecer o contato dos jovens com a natureza. No dia 28 de abril foi divulgado que Curitiba teve a maior participação do Brasil! Foram mais de 2.600 observações. A comissão organizadora parabenizou todos os participantes e nos esperam no desafio do ano que vem.