Titan e Senta a Pua se preparam para Camporee Sul 2019

Por Luis Henrique Rodrigues da Silva

No dia 08/12/2018 as duas tropas escoteiras do Grupo Escoteiro Santos Dumont fomos à sede do Grupo Escoteiro Tapejara, junto com uma representante do Grupo Escoteiro Impisa, em uma atividade preparatória ao Camporee Sul 2019, que acontece entre os dias 16 e 20 de janeiro do próximo ano na cidade de Soledade (RS). O objetivo da atividade era decidir o que levar ao Camporee, quais seriam as patrulhas, os monitores e submonitores, e definir os nomes das patrulhas. Ainda fizemos duas atividades e para finalizar, fizemos uma confraternização.
Começamos fazendo uma atividade com frases famosas de Baden Powell: tivemos que formar as frases, reunindo-nos em duplas, e descobrir o nome do parceiro para nos conhecermos melhor. Nós também fizemos uma lista das coisas que devemos levar ao Camporee: recebemos uma lista com três colunas que diziam “Eu”, “Nós” e “Gabarito”. Na parte escrita do “Eu“ tivemos que definir, individualmente, a quantidade de cada item da lista. Na parte “Nós”, a patrulha escolhia a quantidade para levar de cada item da lista e no “Gabarito” era a quantidade recomendada pelos chefes.
Nós também escolhemos quem seria o monitor e quem seria o submonitor e no final nós fizemos uma deliciosa confraternização todos juntos =)

O que é o Camporee Sul 2019?

O Camporee Sul é um acampamento que reúne escoteiros, seniores e pioneiros de diversos grupos escoteiros da região sul do continente sul-americano, em uma determinada cidade da região sul, para um encontro de 4 dias. A próxima edição será entre os dias 16 a 20 de janeiro de 2019. E vejam a coincidência, a Delegação do GE Santos Dumont terá 60 participantes (um participante para cada ano de existência do Gesd).

AcamTerror reúne família GESD

Por João Vitor Gonçalves

O Grupo Escoteiro Santos Dumont realizou o AcamGESD nos dias 1º e 2 de dezembro, atividade que encerrou o ano e as comemorações dos 60 anos do nosso grupo escoteiro. O acampamento foi na Fazenda Thalia, um lugar muito bonito e espaçoso para muitas atividades. O AcamGESD é um acampamento anual e dele participam todas as seções do grupo:  Lobinhos, Escoteiros, Sêniores e Guias, Pioneiros, Escotistas e as famílias. O tema desta edição foi “AcamTerror”.
No sábado, primeiro dia do acampamento, começamos com diversos reconhecimentos, um deles muito especial para a Tropa Titan, que foi a entrega do Lis de Ouro do Diogo Stockler. Outro ponto alto foi para a Alcatéia Baloo, com a entrega da Insígnia de Madeira da escotista Thaís Raicosk.
De tarde, todo o grupo foi dividido em várias equipes, para participar de atividades organizadas por bases. Uma delas foi a base de uso de armas medievais com arremessos de machadinhas, tiro com arco e flecha e tiro com bestas; outra base divertida foi que reuniu várias atividades como passar pelo fio elétrico e abrir o cadeado com a chave certa (seria fácil se não tivesse mais chaves ali do que pessoas no mundo). Também tivemos uma base de futebol amarrados com um trio, entre outras.
No final do dia, todos foram preparar o jantar, exceto os lobinhos que contaram com uma ajudinha dos pais de apoio e os voluntários do Sistema Fiep na preparação da comida. A noite terminou com o Fogo de Conselho/ Flor Vermelha, que teve esquetes das seções e uma visita muito especial: o chefe Franz! O Chefe Franz visita o GESD a cada 5 anos, desde o aniversário de 30 anos do Grupo (em 1988) – uma homenagem do Chefe Mauro Alberti para o nosso grupo.
A noite foi ainda mais animada, com os jogos noturnos: os lobinhos jogaram um “esconde-esconde” diferente e foram super bem pois a maioria conseguiu se camuflar e não foram reconhecidos pelos chefes. Os escoteiros, guias e seniores jogaram um jogo onde tínhamos que levar água nos copos para o monge na floresta. No caminho fomos atrapalhados pelos pioneiros, então, foi bem difícil conseguir chegar no monge! Depois do jogo, todos foram dormir para o próximo dia (e, infelizmente, o último).
No domingo cada seção organizou a sua atividade. O que cada um fez?

As alcateias:
As chefes Carla e Mila contaram que as três alcateias fizeram as atividades em conjunto: depois do culto, os lobinhos fizeram atividades em 3 bases: em uma delas os lobinhos conversaram sobre os medos e como enfrentá-los. Em outra, avaliaram a importância dos bancos de sangue e jogaram um jogo que era levar sangue bom para a Família Drácula. E na terceira, foi oportunidade para exercitar sobre trabalho em equipe, com direito a uma guerra de bexigas e água!!! Depois de desmontar o campo, eles ainda tiveram um grande jogo final entre todos!

Os lobinhos se divertiram muito e se superaram ao enfrentar o medo do Acanterror, disseram que foi muito divertido! Além deles, as famílias também puderam se divertir conhecendo a belíssima cachoeira. E os escotistas também: “nos alegramos com os sorrisos da família GESD!”

Os escoteiros:
A Senta a Pua e a Titan também se uniram para fazer a atividade.
Conforme descreve o chefe Gustavo, as duas tropas escoteiras acordaram às 5:30 para acompanhar o nascer do sol. Foi um momento lindo e muito especial, pois todos aproveitaram para fazer sua renovação de promessa. Os oito monitores prepararam um café da manhã especial para todos.
Após o culto, todos foram para a atividade com cordas. Foram 3 bases: o cabo submerso (o desafio era atravessar o lago apenas com o auxílio de um cabo); o rapel (descida de uma pedra, com ajuda de duas cordas); e a subida na cachoeira (utilizando uma escada construída com cordas). Passar o dia na água foi muito legal, refrescante e cansativo. Aproveitamos muito bem o sol que nos presenteou um acampamento fantástico.
As duas Tropas Escoteiras se divertiram muito e adoraram passar o dia na água.

As guias e seniores:
No domingo a TSPP, contou o chefe Kleber, participou ativamente do culto e pela manhã fizeram uma atividade de reflexão: a Avaliação do Semestre. Após o almoço com o Grupo (pão com linguiça e salada, preparada pela Diretoria e CFL), foram se divertir na cachoeira.
Para os jovens e escotistas, o que não faltou no Acangesd foi divertimento do começo ao fim.

O Clã Pioneiro:
A Sophia, Presidente da COMAD, contou que os pioneiros foram para a cachoeira o dia todo! Foi momento para nadar, jogar vôlei na água e se divertir. Alguns pioneiros aproveitaram para descansar embaixo do toldo no campo do clã.
Todos se divertiram muito. Se fantasiar e preparar a esquete para o Fogo do Conselho foi legal. Além disso, aplicar uma base e participar das atividades de sábado foi muito interessante e uma ótima oportunidade para aprender. Para os pioneiros, o Acangesd é uma oportunidade para fazer atividades de integração com outras seções e conviver com todos os integrantes da Família Santos Dumont.
Realizar este acampamento, com o apoio de participação de jovens, escotistas e voluntários do Sistema Fiep (que ofereceu um apoio financeiro para viabilizar a participação de mais pessoas no acampamento) é muito legal.
“É incrível como podemos reunir mais de 200 pessoas com um único objetivo! O Acangesd é a União de todos, é a comemoração de um grande ano, é diversão, alegria, união, amizade e muito amor”, disse a chefe Carla, da Alcateia Bagheera.
É, além de tudo, e como destacam os Chefes Mila, Gustavo, Kleber e a Pioneira Sophia, uma oportunidade de integração e interação entre todas as seções e todos os ramos, um momento para fazer novos amigos e fortalecer amizades antigas. O Acangesd “é o momento em que todo grupo pode interagir e fazer atividades em conjunto, além de que é a oportunidade de se divertir e praticar escotismo como grupo”, segundo a Chefe Anandha.
E para mim, o Acangesd é bom porque é uma oportunidade de reunir todas as seções e conhecer melhor os outros além de fazer novas amizades.
Desta forma terminamos mais um ano de atividades e acampamentos. Desejamos que venham mais 60 anos de boas atividades!
Boas férias e boas festas a todos, e, nos vemos 9 de março de 2019!

**Agradeço a todos que me ajudaram a escrever este texto: chefes Mila, Carla, Jeff, Anandha, Gustavo, Kleber, Priscila e a Pioneira Sophia.

As fotos do Acamgesd podem ser vistas nesses dois links: aqui e aqui.

A boa ação é animal!!

Por Alice Depiné Knupp Figueredo – Alcateia Baloo
Como resultado da boa ação da Alcateia Baloo com as vendas dos cookies da confeitaria vegana BabyCake e da arrecadação que veio do meu projeto de boa ação, conseguimos mais de 330 kg de ração e mais alguns produtos para animais.
Nós doamos as rações e os produtos para a ONG Animais Sem Teto, que fica em São José dos Pinhais (os cães) e em Curitiba (os gatos). Eles explicaram como é o trabalho deles: eles recolhem os animais abandonados e machucados, cuidam, castram, dão as vacinas e assim por diante. Hoje existem lá 68 cães e 47 gatos, que consomem todo mês 1 tonelada de ração (são 30 kg por dia só de ração de cachorro). Nós também ajudamos nos eventos deles em Curitiba, como as panfletagens e os bazares.
Quem quiser ajudar pode doar roupas, brinquedos e sapatos para o bazar, desde que estejam em bom estado. Além disso, podemos doar ração sempre que quisermos. Mas nada como doar amor e carinho! Em troca, você vai ganhar uma lambida…

Tropa Titan em Campo Largo

Por Arthur Guasque Carvalho

Entre os dias 15 e 17 de novembro (Feriado da Proclamação da República) a Tropa Titan do Grupo Escoteiro Santos Dumont acampou em uma chácara em Campo Largo. Com a participação de 23 jovens, fizemos atividades diversificadas e muitos interessantes.
Encontramo-nos às 8h do dia 15 no Terminal Campo Comprido e fomos de ônibus até a parada mais próxima da chácara. De ali, fizemos uma jornada de 2,5 km seguindo os sinais de pista: pena que apenas uma das bandeiras tenha sido resgatada (será que demos toda a atenção para alguns sinais?).

Chegamos, armamos acampamento e almoçamos.

De tarde fizemos várias atividades divertidas, entre elas a construção de uma catapulta em bambu e tivemos que montar uma maca usando bambu e cordas e levar um elemento de nossa patrulha para o outro lado do rio. O jantar foi especial, pois comemoramos o aniversário da Mariana Dambrós, atual monitoria da Águia, que ficou surpresa pela festa mantida em segredo. A comemoração terminou com uma incrível Balada Titan: com direito a música, dança e muitas risadas. Claro, acampamento sem jogo noturno não tem graça: fizemos dois jogos. Um deles consistia em apagar a vela das patrulhas adversárias com uma seringa de água. O outro, já tradicional na Titan, o Jogo 21.

A manhã seguinte (16) começou com alongamento e uma corrida para nos deixar bem dispostos e preparados para o dia. Após o café, fizemos atividades por bases:
1. Preparação do peixe com o Chefe Gus: nosso desafio foi preparar, temperar e assar um peixe.
2. Semáfora com Chefe Fernanda, onde nós aprendemos o alfabeto de sinalização com bandeiras vermelhas e amarelas.
3. Falsa Baiana sobre o Rio com o Chefe Fábio, Rafa e Gabo: a tarefa era atravessar o rio utilizando duas cordas.
4. Canções escoteiras e ideias para a esquete, com Chefe Pri. Montamos o roteiro para a esquete e descobrimos músicas novas.

Ainda teve cabo de guerra e buldogue no Rio!

A noite, claro, o Fogo de Conselho, que contou com ótimas esquetes sobre o nosso ano de atividades, músicas animadas e a despedida do Diogo e da Vick – que seguirão sua vida escoteira na sênior. Comemos marshmellow no fogo e rimos juntos (sem falar de chorar né?). E para fechar o dia intenso, ainda tivemos um jogo noturno, que se consistia no seguinte: Chefe Gus escolhia quatro voluntários e os deixava na floresta. Seu objetivo? Achar três pistas para fugir daquele lugar. Mas, o Chefe Gabo, que estava fazendo o papel de alien e escutava muito melhor que nós, humanos, nos perseguia se fizéssemos barulho – a audição aguçada foi desenvolvida por ser cego (seria uma preparação para o Acangesd de Terror?).

E chegou o último dia de acampamento (17): tivemos alongamento, atividade espiritual, onde escrevemos sobre nossos sonhos e o que queremos pra Tropa em 2019. Depois, fizemos a desmontagem de campo e retornamos para a Sede.

Notas do autor:

Entrei no Gesd este ano. Por uma decisão de família, o próximo ano não estarei mais em Curitiba. Mas gostaria de compartilhar um breve relato explicando como o escotismo me mudou este ano e porque ele é tão importante.

Primeira Razão: Amigos. Eu entendo até errado falar que eles são amigos, porque eles são, na verdade, a minha família. Antes de entrar no grupo, eu me sentia deslocado em cada canto que eu ficava, mas no grupo, com a Tropa, me sinto no meu lugar.

Segunda Razão: Formação. Desde o primeiro dia eu percebi que o escotismo é uma área onde formamos o caráter desde cedo, aprendendo coisas importantes para a vida adulta.

Terceira Razão: Apoio. Com o apoio de chefes, irmãos escoteiros e de todos os escotistas mais velhos que eu, consegui ter coragem de fazer coisas que nem sequer imaginaria fazer.

Agora, quero deixar bem claro que quando conquistar a Brownsea Island, gritarei Sempre Alerta para todos que me acompanharam durante este longo e incrível ano, de muitas risadas, lágrimas, suor, esforço, e o mais importante: Amizades.

Sempre Alerta!

 

Vem aí o AcamGESD 2018 – uma noite de terror!!

Se você tem medo ou coração fraco, melhor ficar em casa. Agora, se você curte altas emoções, o AcamGESD 2018 é o seu lugar.

Venha comemorar os 60 anos do GESD no acampamento que celebra o fim das atividades escoteiras do ano!! Será na Fazenda Thalia, nos dias 1 e 2 de dezembro, com atividades para toda a família.

Esperamos vocês lá! Fale com a chefia da sua seção e não perca esse grande evento!

GESD: Há 60 fazendo história

Por Maria Luisa Kovalhuk

Na sexta-feira dia 26 e sábado dia 27 de outubro, ocorreram, respectivamente, a sessão solene e o jantar dançante em comemoração aos 60 anos interruptos de atividades do nosso grupo escoteiro, Santos Dumont.
A sessão solene aconteceu em um auditório cedido pela FIEP e começou às 20 horas, com a entrada e saudação às bandeiras, o hino nacional e uma oração. Contou com presenças ilustres, como a do vereador Paulo Rink, que concedeu, em nome da prefeitura de Curitiba, o título de Utilidade Pública ao grupo; do presidente da União dos Escoteiros do Brasil (UEB) região Paraná, Irineu Muniz de Resende Neto, que nos concedeu o mérito regional; da orquestra dos meninos do Projeto Dorcas: Música nos Bairros, que nos encantou com sua incrível apresentação, emocionando a todos com sua última música, a “Canção da Despedida”; além da familia escoteira, que compartilhou suas histórias e recebeu certificados, dos mais jovens aos mais experientes, todos mostrando como contribuíram e fizeram parte da história do grupo.
O jantar dançante foi realizado no salão de festas da Igreja Orleans. A partir das 20 horas, os convidados foram chegando, em um clima de muita alegria e conversa, rememorando os bons momentos que passaram dentro do grupo. A cabine de fotos, aproveitada por todos, sempre tinha fila, que diminuiu apenas quando foi servido o jantar. Foram feitos pequenos discursos e homenagens, cantado parabéns ao grupo e para o nosso presidente, Marcelo Margraf, que comemorava mais um ano de vida naquele mesmo dia, e, enfim, servido o bolo, ricamente decorado e, posteriormente, aprovado por todos. Então, ao som de uma banda ao vivo, todos foram convidados a dançar.
A sessão solene e o jantar foram exemplos de atividades bem sucedidas que tivemos durante o ano todo para comemorar nosso aniversário. E, para fechar o ano com chave de ouro, esperamos com anseio o Acamgesd dos 60 anos.

Confira a galeria completa de fotos clicando aqui.

 

Entrega do certificado de Utilidade Pública pelo vereador Paulo Rink ao diretor-presidente do GESD, Marcelo Margraf.

Diretores Luis Gobbo, Mariovani Cervi e Marcelo Margraf recebem o Diploma de Mérito Regional do diretor-presidente da UEB-PR, Irineu Rezende.

Banda de Metais do Projeto Dorcas.

 

Que tal um pouco de arte no feriado?

Por Bruna Pioli

Depois do trágico incêndio ocorrido no dia 2 de setembro de 2018, que atingiu o Museu Nacional no Rio de Janeiro, fica visível a negligência e o desinteresse do governo e de boa parte da população com o patrimônio histórico e cultural brasileiro. Por esse motivo, é importante incentivar as crianças, jovens e adultos da comunidade escoteira a descobrir os museus e teatros de suas cidades. Abaixo, uma lista de alguns espaços culturais que merecem uma visita em Curitiba (inclusos museus de artes visuais e teatros). Aproveite que no dia 02 de novembro, apesar do feriado, muitos museus estarão abertos!!

Museu Alfredo Andersen
End: R. Mateus Leme, 336 – São Francisco, Curitiba – PR, 80510-190
Horário: 10h às 16h

Museu Metropolitano de Arte de Curitiba
End: Av. República Argentina, 3430, Terminal do Portão – Portão, Curitiba
Horário: 10h às 19h

Museu de Arte Contemporânea do Paraná
End: R. Des. Westphalen, 16 – Centro, Curitiba – PR, 80010-110
Horário: 10h às 16h

Museu de Arte Sacra
End: R. Dr. Claudino dos Santos, 49 – Largo da Ordem, Curitiba – PR, 80020-170
Horário: entre terça e sexta-feira das 9h às 12h e 13h às 18h / sábado e domingo das 9h às 14h.

Museu de Arte Indígena
End: Av. Água Verde, 1413 – Água Verde, Curitiba – PR, 80620-200
Horário:10h às 17:30 (fechado aos sábados e domingos)

Museu de Arte da UFPR
End: Rua XV de Novembro, 695 – Centro, Curitiba – PR, 80020-310
Horário: 09h às 18h (fechado aos sábados e domingos)

Museu Oscar Niemeyer
End: R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico, Curitiba – PR, 80530-230
Horário: 10h às 18h (fechado as segundas)

Memorial de Curitiba
End: R. Dr. Claudino dos Santos, 79 – São Francisco, Curitiba – PR, 80020-170
Horário: entre terça e sexta-feira das 9h às 18h / sábado e domingo das 9h às 15h.

Teatro Positivo
End: R. Prof. Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300 – Campo Comprido, Curitiba – PR, 81280-330

Teatro Fernanda Montenegro
End: Shopping Novo Batel – Alameda Dom Pedro II, 255 – Batel, Curitiba – PR, 80420-060

Teatro Lala Schneider
End: R. Treze de Maio, 629 – Centro, Curitiba – PR, 80020-280

Paiol
End: Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho, Curitiba – PR, 80215-000

Tropa Senta a Pua realiza Acampraia em São Francisco do Sul

Por Anna Julia Silva

Entre os dias 11 e 14 de outubro, a Tropa Senta a Pua foi acampar em São Francisco do Sul, em Santa Catarina. Este Acampraia teve várias atividades criativas e divertidas, como os jogos na Praia do Forte como competição de bets, frisbees, música e dança. Também tivemos várias brincadeiras no mar, que mesmo com a água gelada, foram bem legais.

Na noite do dia 12, a chefia fez uma surpresa: uma festa especial pelo Dia das Crianças! Teve música, luz colorida e (muitos) doces. A playlist da festa foi construída pelos escoteiros da Tropa. Todos adoraram!

No último dia de acampamento a tropa subiu até o Forte Marechal Luz, que fica em cima do morro. Seguiram em caminhada de quase 2km, cuidando uns dos outros, conhecendo a história desta construção de mais de 100 anos, vendo os canhões antigos que serviam de proteção ao porto, curtindo o mirante e tirando muitas fotos. E, claro, se cansaram muito!

Tanto na ida para o acampamento, quanto na volta para casa a galera não desanimou e se divertiu bastante. Teve chuva, teve sol, teve sorvete e até uma promessa na praia! Alívio e alma limpa de quem foi acampar! “O Acampraia da SAP foi legal e mesmo com a chuva deu para aproveitar bastante; O forte foi legal porque deu para conhecer muito sobre as guerras que aconteceram no Brasil”, conta a escoteira Alice de Souza Rocha.

Alcateia Bagheera faz treinamento contra incêndios

Por Mariana de Castro Estevam

A Alcateia Bagheera fez no dia 21 de outubro uma atividade especial de treinamento contra incêndios e atendimento de primeiros socorros. A atividade foi uma escolha dos lobinhos e foi realizada no Padilha Centro de Treinamento Padilha, local de treinamento para brigadistas e bombeiros localizado no bairro Guatupê, em São José dos Pinhais.
Lá nos fizemos várias atividades que o chefe Padilha faz para ensinar bombeiros. No caso dos primeiros socorros, nós aprendemos como fazer a assepsia de ferimentos e também a fazer a manobra de Heimlich. Essa manobra eu achei bem legal, pois ela é muito útil se algum lobinho ou vizinho estiver engasgado e afogado, a manobra faz a pessoa voltar a respirar.

Na parte de combate a incêndios, nós aprendemos a mexer com mangueiras e extintores. Teve uma instrução em que o Padilha colocou fogo em um barril com gás e nós tivemos que apagar. Primeiro cada lobinho pode agir usando um extintor, depois todos se juntaram para usar a mangueira. E também entramos em uma Casa de Fumaça, que é um lugar que simula uma casa pegando fogo. Isso foi para aprendemos como nos locomover caso estejamos em um lugar com fogo de verdade.
No fim da atividade, nós fomos batizados, que é como eles fazem com as pessoas que terminam o curso de treinamento. Veja o vídeo da matéria, nos ficamos bem molhados!!! E depois nós demos o grito do grupo e eles cantaram uma música dos bombeiros. Eu achei a atividade muito bacana e importante, pois agora os lobinhos sabem como agir e ajudar se virem alguém engasgado! E a turma do Padilha foi bem legal com a gente.

Melhor Possível!

O batismo da Alcateia Bagheera

Pioneiras participam de programa de prevenção aos acidentes de trânsito

por Maria Luísa Kovalhuk e Sophia Anna d’Haese Roennfeldt

O clã pioneiro é guiado pelo seu lema: servir. E foi por esse espírito que o Clã Pioneiro Santos Dumont foi convidado a participar do Road Show. O Road Show é um programa educacional de segurança viária, estruturado por meio de uma apresentação teatral. O evento, surgido na Espanha, acontece em diversos países da América do Sul. No Brasil, o programa é desenvolvido desde 2014.
O evento, que geralmente é apresentado para calouros de universidades, inicia com a encenação de uma festa, na qual há uma conversa entre o DJ e um jovem condutor embriagado. Em seguida, começa o programa propriamente dito. É mostrado um vídeo, que contém cenas de acidentes de trânsito, e é intercalado por depoimentos de socorristas, policiais, bombeiros e profissionais da área da saúde. Por fim, o Road Show conta também com o depoimento de um sobrevivente e de uma mãe que perdeu seu filho em um acidente de trânsito.
Valendo-se do seu lema, nos dias 08 e 14 de agosto 2018 na FAE de Curitiba e no SESI de São José dos Pinhais, as pioneiras Maria Luísa Kovalhuk e Sophia Anna d’Haese Roennfeldt se voluntariaram a participar do evento atuando no papel de jovens condutoras.
Essa experiência possibilitou às jovens se conscientizarem a respeito de atitudes a serem tomadas no trânsito, além de proporcionar uma ótima experiência de apresentação em público. Cientes do cenário atual de acidentes de trânsito no Brasil, as pioneiras consideram o Road Show um programa que deve ser expandido, para atingir mais pessoas.