Uma viagem ao Velho Oeste norte-americano


Por Sofia Magagnin Buchelt e Izabella Güther Camati

Fotos de Messias Rodrigues

Nos dias 20 a 22 de junho de 2019 ocorreu o Acamtropas com o tema Velho Oeste (tema escolhido por meio de votação pelos jovens). O local escolhido foi a Estância Ilha Verde, um espaço bem grande e bonito. Lá tivemos a chance de nadar na represa Rio Verde, a qual abastece boa parte de Campo Largo e Araucária, no Paraná. Contamos com a presença de 108 jovens, 27 escotistas e 3 pais de apoio.

O acampamento foi organizado pela Tropa Titan e Senta a Pua, do Grupo Escoteiro Santos Dumont, e pelas tropas dos Grupos Escoteiros Marechal Rondon (39-PR), Pedro Macedo (301-PR), Tapejara (23-PR) e do Ar Thalia (21-PR).
As patrulhas foram organizadas em 6 subcampos: APACHE, COMANCHE, CHEROKEE, SIOUX, NAVAJO e CREEK (cada subcampo continha de 3 ou 4 patrulhas).

No primeiro dia, cada grupo se encontrou na sua sede às 7h da manhã para ir ao local, onde chegaram às 9h. Às 9:30 participamos da abertura geral do acampamento, com o hasteamento das bandeiras e a divisão dos subcampos. Às 10h começamos a montagem dos campos: foram montados os toldos, barracas e nossas “cozinhas”. Logo depois fomos liberados para fazer o almoço e nos aprontarmos até 13h, quando as atividades realmente começaram. As atividades foram divididas em bases administradas pela chefia. Após as atividades, tivemos um tempo para tomar banho e jantar.

De banho tomado e barriga cheia, tivemos o nosso “Caça ao coiote”, ou melhor, nosso jogo noturno. O jogo consistia em a patrulha encontrar chefes, os ditos coiotes, que estavam escondidos.  Em seguida tivemos a tão esperada festa de integração, que foi recheada de doces, música e muita diversão. A festa também teve Correio elegante, Cadeia, Boca do palhaço, Argola e Pescaria, brincadeiras bem típicas festa junina, se assim podemos dizer.

No segundo dia o alvorada foi às 7h da manhã e a bandeira às 7:30. Depois tivemos tempo para o café da manhã e higiene pessoal. Às 9h iniciamos as atividades por subcampos nas bases. Às 14h tivemos tempo para o almoço e logo em seguida voltamos nossa jornada pelo velho oeste até escurecer, quando tivemos que interromper as atividades por conta do tempo, então, fomos autorizados para fazer o jantar.

Na parte da noite, aconteceu a “Corrida de orientação noturna”, onde as patrulhas tiveram que achar o azimute e responder perguntas secretas. Mais tarde, nos reunimos para o Fogo de Conselho, um momento para reflexão e entretenimento. Nele os subcampos apresentaram esquetes e palmas dignas de óscares. A canção da despedida foi emocionante (como tem que ser, imaginamos).

No nosso último dia, atrasamos um pouco e acordamos às 7:30 e logo em seguida fizemos a bandeira.
Depois do café da manhã cada subcampo preparou 4 atividades para serem feitas até o meio-dia. Nosso subcampo (CREEK), escolheu as seguintes atividades: Aranha, Buldogue, Bastão Elétrico e Pulmão de Ferro. Foram atividades intensas e divertidas. O almoço foi coletivo, comemos pão com linguiça. Ah, damos destaque para a deliciosa maionese preparada pela chefia. Após o almoço tivemos a batalha de locomotivas, onde disputamos para ver qual trem sairia ileso da guerra das bexigas de água e baldes de lama!

Por final o encerramento do acampamento… onde declararam o empate entre os 6 subcampos! Depois desses incríveis 3 dias de diversão e aprendizado, nós entramos no carro e nos despedimos do nosso amado e eterno velho oeste.

Notas da autora: Sofia B.
Desde pequena eu sempre quis participar do movimento escoteiro, mas meus pais nunca me colocaram, pois na época não tínhamos condições. Quando conheci a Iza ela não parava de falar como fazer escotismo era importante. Então, eu falei com meus pais e finalmente os convenci. Eu entrei bem no dia da Hamburgada (que aconteceu há apenas algumas semanas). Foi um dia incrível, o qual já percebi o quanto o escoteiro é amigo, companheiro e leal. Nesse mesmo dia eu me inscrevi, e não me arrependo. Nesse feriado tive a oportunidade de participar do meu primeiro acampamento. Foi incrível! Posso dizer que vai ficar para a vida toda na memória de todos os momentos que vivemos lá. E espero que muitos outros surjam!

Notas da autora: Izabella C.
Estou no movimento escoteiro já há 7 anos e 3 meses.
Acampo já há 7 anos e três meses.
Troco festas e passeios por atividades já há 7 anos e 3 meses.
Eu iniciei a melhor parte da minha vida há 7 anos e 3 meses.
O escotismo me trouxe inúmeras oportunidades, milhares de memórias, e o mais importante, pessoas maravilhosas, as quais eu pretendo compartilhar o resto da minha vida.

*Queria agradecer especialmente o chefe Gabriel Oleski (Gabo), por ter insistido em procurar meu lenço no escuro… muito obrigada por não ter desistido, nem quando disseram que ele já havia se perdido. Sou eternamente grata pelo seu esforço!

  • Compartilhe:

Últimos Eventos

Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens