Escoteira faz primeira Jornada de Travessia virtual


Por Izabella Güther Camati de Oliveira  

No dia 17 de maio de 2020, dois meses depois do início da pandemia, eu fiz algo que nunca teria imaginado ser possível fazer um dia: uma Jornada de Travessia Virtual. Confesso que, quando me foi proposta essa maneira de fazer a Jornada, parte fundamental do caminho até a Lis de Ouro, 100% online, minhas expectativas eram bem baixas. Cheguei a pensar que não seria tão especial quanto uma jornada tradicional. Eu e a chefia pensamos muito se realmente compensava fazê-la agora ou se seria melhor esperar até o retorno das atividades presenciais. No final das contas, não poderíamos ter tomado decisão melhor. Foi tudo feito com carinho e muito bem planejado pelos chefes.

A jornada ocorreu naquele dia, 17 de maio, com início às 09h e encerramento às 15h30, totalizado seis horas e meia de um caminhar mental sem pausas. Montamos um grupo no whatsapp (chefe Priscila, chefe Fábio e eu) para nos comunicarmos durante o dia. Também conversamos pelo hangouts no começo e fim da jornada.

Na noite anterior (sábado), a chefia me entregou um mapa da cidade e as cartas que eu só poderia abrir na manhã seguinte e respeitando uma ordem.

As atividades foram das mais simples, como tirar azimute e responder questões a respeito de habilidades que adquiri na minha caminhada na tropa, até as mais reflexivas, como fazer um infográfico com alguns dos momentos que mais me marcaram no ramo escoteiro e escrever uma carta para “a Iza de 2030”.

Tive também que colocar minhas habilidades de cozinheira em prática para fazer um bolo de frigideira, anotar a receita e tirar fotos, as quais seriam passadas para a tropa mais para frente.

Me emocionei gravando um vídeo de despedida para a minha patrulha. Aproveitei para dar a eles conselhos baseados na minha vida como escoteira e dizer que cada um tem um grande espaço no meu coração.

E, como na maioria das jornadas de travessia o jovem convida um de seus irmãos escoteiros para acompanhá-lo na caminhada, a chefia não deixou esse detalhe passar batido. Contataram alguns amigos meus e pediram para que eles gravassem vídeos contando algum momento que passamos juntos e me incentivando a continuar (os quais foram enviados a mim ao longo do “percurso” e da abertura das cartas).

Chegando ao final desse “caminhar mental”, pude ter certeza de que eu estava mais do que pronta para a minha passagem. E agora, como guia, sei que até os dias mais simples podem resultar em grande aprendizado.

Eu não fazia ideia de como tudo ia funcionar, e acredito que tenha sido um grande desafio para os chefes também, afinal, foi preciso inovar bastante para tornar isso possível.

A jornada superou imensamente as minhas expectativas. Agora, me sinto ainda mais parte da Tropa Titan mesmo saindo dela… é uma sensação incrível pensar que eu consegui deixar um “legado” lá dentro e que muito provavelmente tem alguém se espelhando em mim.

E claro, fico muito feliz em dizer que fiz uma das primeiras Jornadas de Travessia online, e a primeira dentro do GESD.

Sempre Alerta!

  • Compartilhe:

Últimos Eventos

Escoteiros do Brasil - Educação e lazer para crianças e jovens