GESD prepara Festa Julina e Fogo de Conselho

No dia 3 de julho de 2021 a Família GESD se reuniu para um encontro especial: Festa Julina e Fogo de Conselho. A atividade marcou o encerramento do semestre, mas também, marcou a fraternidade escoteira que nosso Grupo constrói há quase 63 anos.

Todas as bandeiras foram hasteadas para a abertura geral, afinal de contas, é justo comemorar que, apesar da pandemia, nosso Grupo manteve ativa suas atividades. Como toda boa festa julina, teve bingo, com direito a “prenda” para os que fizeram cartela cheia – famílias Kalluf, Pedrón e Zinher adoraram os brindes!!!

Sem comida não é festa, não é mesmo? Por isso uma base, bem docinha, foi especialmente dedicada para a preparação de uma pipoca mateira. E finalmente, uma base bem artística, garantiu as lanternas que utilizamos para a segunda parte da nossa atividade.

Nosso encontro concluiu com um Fogo de Conselho, que iniciou com várias mensagens de carinho do “Correio Elegante GESD”. Além disso, demos boas risadas com a esquete, preparada por jovens de todas as seções e escotistas, que nos ajudou a relembrar que apesar de o escotismo ser bem velhinho (já são 104 da fundação por Baden Powell) nossa promessa escoteira nunca sai de moda, jamais será “cringe”. E claro, para reforçar que acreditamos que logo estaremos juntos, nossa noite encerrou com a Canção Despedida ao som do violão e da gaita de boca, um presente dos chefes Giovanni Pedrón e Osmar Ponchirolli e do escoteiro Henrique Pedrón.

Agora, vamos recuperar energias e renovar esperanças de que logo estaremos pertinho e fazendo tudo que mais gostamos no escotismo: acampar, brincar, fazer amigos…

Slide do PowerPoint que possui todas as bandeiras do grupo.

Jornada de travessia

Por Matheus e Camilla

Com a pandemia, muitas atividades que antes eram possíveis realizar ao ar livre, passaram a ser realizadas dentro de casa. Com isso, dia 1° de maio de 2021 a Camilla e o Matheus realizaram suas Jornadas de Travessia, cada uma na sua casa. Mesmo sendo online, eles tomaram o dia para realizar as atividades e desafios propostos. Com nove cartas no total e cada um no seu tempo, eles realizaram as coisas informando os escotistas a cada atividade realizada.

Cami:

O dia em si foi muito divertido, sendo um dos mais produtivos que eu tive em dias. Comecei entrando em uma reunião com os chefes e aprendendo como funcionaria o dia.  A primeira carta foi entregue e assim a minha jornada começou. Escrevendo textos, tirando fotos, criando árvores genealógicas, calculando azimutes, utilizando um mapa, são alguns exemplos de atividades que fiz. Pelas coisas realizadas pude perceber como um dos grandes objetivos da jornada é você relembrar a sua trajetória não só no escotismo, como na vida também e como o escotismo teve influência na sua vida, já que esses dois pontos foram utilizados em todas as atividades. Creio que enquanto frequentamos as atividades escoteiras, criamos muitas memórias e experiências, e por isso uma das minhas atividades preferidas foi rever dez atividades que nos marcaram durante a nossa vida na tropa. Apesar de não estar por muito tempo no movimento escoteiro, ainda pude aproveitar pequenos momentos muito divertidos. Durante toda a jornada, não só relembrei mas também aprendi coisas novas também: como fazer panqueca na garrafa, calcular um azimute e entre outras coisas. A experiência em si foi muito interessante, além de ter aproveitado muito o meu dia.

Matheus

Para mim essa jornada foi um momento muito emocionante e desafiador. Apesar de ter sido virtualmente eu senti que foi uma experiência bem diferente e divertida. Durante o dia eu respondi cartas prego com atividades para testar minhas habilidades escoteiras, realizei atividades referentes a azimutes, culinária escoteira, conversas sobre a promessa e a lei escoteira e, é claro, revi vários momentos marcantes na minha caminhada na tropa. Ao longo da jornada eu recebi vários vídeos dos meus companheiros na tropa: cada um deles, com certeza, vai estar guardado com muito carinho no meu coração. Durante o dia eu percebi o quão importante a tropa Titan foi para mim e o quão incrível é fazer parte dessa tropa, desse grupo, e principalmente desse movimento. Eu sempre serei grato por fazer parte dessa grande família escoteira.


Com isso podemos concluir que as jornadas foram experiências diferentes e bem desafiadoras, porém esperamos que as próximas sejam presenciais, cheias de abraços e apertos de canhota!

Sempre alerta!

Patrulhas em ação!

Por: João Vitor Gonçalves (Águia); Mariana de Castro Estevam (Condor); Scarlett Manuela Matto Pietsrzak (Gavião).

No sábado dia 24 de abril a Tropa Titan realizou atividades em patrulhas, que foram organizadas e coordenadas pelos monitores.

A patrulha Águia organizou um encontro virtual que foi regado à jogos. Jogamos Stop, Gartic phone e RISK. Também aproveitamos para avaliar as atividades do primeiro ciclo e apresentarmos algumas especialidades – itens que estavam pendentes para alguns membros da patrulha. Nesta atividade, aprendemos como jogar novos jogos e utilizar ferramentas que estão à nossa disposição no mundo virtual. Foi uma boa estratégia para aproveitar os momentos do escotismo online da melhor maneira possível, sempre aprendendo e nos divertindo, na medida do possível.

A patrulha Condor também optou por uma tarde de jogos. Jogamos Broken Picture phone, com tema escoteiro é claro! Foi também uma oportunidade para aprimorarmos formas de darmos nossa opinião, assim como defendê-las, isso de forma civilizada, para que pudéssemos chegar a um consenso quanto às respostas em relação a avaliação do ciclo. No final, como já é costume na nossa patrulha, ficamos batendo-papo. Adoramos!

A patrulha Gavião resolveu fazer um acampamento, com o tema Masterchef! Foram várias semanas de preparação até o dia do acampamento. Começamos no sábado com a saudação à bandeira, um jogo animado proposto pela monitora e, em seguida, respondemos ao questionário de avaliação enviado pela chefia. Cada um preparou sua barraca improvisada e apresentamos para toda a patrulha. Fizemos o convite para conversar com uma Confeiteira. Ela nos explicou como calcular a receita de bolo para 50 pessoas e ainda como calcular o seu custo. Em seguida colocamos a “mão na massa”: cada um preparou a receita de um bolo confeitado, fizemos uma sobremesa light (salada de frutas!! Algo que podemos repetir nos acampamentos presenciais, quando isso por possível) e ainda preparamos canudinhos de maionese, cuidando da sua apresentação. Pensa que acabou por aí? Não! Em conjunto pesquisamos as recomendações de conservação e higiene no preparo de doces. Foi um sucesso, nos tornamos quase, quase confeiteiros profissionais! Foram dois dias divertidos, de muito trabalho, mas também de muitos aprendizados.

Logo a Tropa Titan discutirá e aprovará o novo calendário de ciclo. Com certeza novas atividades de patrulha serão realizadas. Logo compartilhamos essas aventuras. Sempre Alerta!

Equipe Equidade de Gênero GESD em Ação: Tropa Titan

Você sabia que desde 2020 existe a Equipe de Equidade de Gênero do GESD? Essa foi uma iniciativa das então pioneiras Bruna Pioli, Carolina Dias Vianna e Maria Luísa Kovalhuk e hoje conta com o engajamento de diversos escotistas do nosso Grupo.

O propósito dessa equipe é “contribuir para que os jovens e adultos voluntários do nosso grupo escoteiro saibam o que é equidade de gênero e qual a importância de vivenciar este tema nas suas vidas”. E para alcançar esse objetivo, 2021 será um ano de realização de diversas atividades relacionadas ao tema.

No dia 13 de março, bem na semana em que comemoramos o Dia Internacional das Mulheres, a Tropa Escoteira Titan realizou uma atividade para discutir estereótipos, que muitas vezes provocam desigualdades de gênero. Os jovens foram desafiados a resolver enigma sobre acidente de pai e filho, no qual refletiram sobre como algumas construções sociais marcam preconceitos de gênero.

Para Laura Pioli, 13 anos, “durante a atividade nós discutimos sobre a falta de credibilidade que é dada às mulheres. Em muitas situações as mulheres têm seu crédito retirado por serem o que são, quer dizer, MULHERES, e foi sobre isso que o vídeo que assistimos tratou. Graças a ele tivemos espaço para abrir uma argumentação onde falamos sobre o assunto, e entendo que foi oportunidade para todos aprendermos muito”.

Matheus Labre, 14 anos, destaca que “há muito preconceito em relação a determinadas atividades profissionais. Nossa sociedade tem, infelizmente, uma visão de que mulheres não podem ser as mais competentes em determinados locais. Foi uma atividade muito interessante e reflexiva e eu espero que tenha mais atividades com esse tema”.

Uau… quanta profundidade nas reflexões, hein?

E aí, quer saber qual era o enigma? Em breve divulgaremos a ficha boa ideia dessa e de muitas outras atividades sobre equidade de gênero. Acompanhem nossas publicações no site do GESD para saber o que mais vamos “aprontar”.

Uma aventura de cinema entre as Alcateias e a Titan

Por Artur da Paz Vieira Brito e Priscila da Paz Vieira

Nosso sábado, dia 24 de outubro, foi muito animado e diferente. Isso porque nós reunimos, virtualmente (é claro), as alcateias Baloo, Bagheera e Kaa e a Tropa Escoteira Titan. O convite veio dos escoteiros e nós aceitamos prontamente.

Nos encontramos pontualmente às 14:30. Foi bonito ver o hasteamento virtual das nossas quatro bandeiras! A escoteira Marianna da Mata nos explicou que visitaríamos quatro bases relacionadas a filmes e nos dividimos em equipes, que misturaram lobinhos e escoteiros. A minha foi a Equipe 3 (eu adorei, porque fiquei junto com meu amigo Bruno Chaves, que agora é escoteiro. Já fazia tempo que não fazíamos atividades juntos).

Nossa primeira base foi a do “Bob Esponja e o Tangram”. Os escoteiros João Gonçalves e o Lucas Pontes (na verdade, nós o chamamos de Café) nos explicaram que o Bob Esponja está querendo ficar muito inteligente e descobriu que praticar com o tangram é uma boa estratégia. Nos unimos a ele e recortamos as peças dos nossos tangrams. O primeiro desafio foi montar a sede do Grupo (quem sabe assim matamos as saudades, né?). A Kotick da Bagheera nos desafiou a montar todos os animais da jângal em tangram… será que é possível?

Também teve a base do “Harry Potter, o invisível visível”. As escoteiras Nina Kastrup e Marianna, ops, melhor seria dizer as professoras Nina Mcgonagall e NN Snape, nos ensinaram as palavras mágicas “Ver invisimilus” e com a ajuda das nossas varinhas mágicas foi possível encontrar letras e desenhos escondidos em diversas imagens! Eu adorei essa base.

A base “Mickey adora música” foi muito animada. As escoteiras Camilla Kuribara e Sofia Pimentel, com suas orelhas de Minnie, nos ensinaram a música dos copos. Ufa… foi desafiador. Combinamos de praticar para, no nosso retorno às atividades presenciais, fazermos uma sinfonia em conjunto, em ritmo super acelerado (velocidade é a minha especialidade!!!)

E finalmente, teve a base “Monstros S.A: desenhar o próprio monstrinho”. A Mari Dambrós e o Gabriel Dalke nos disseram que a Walt Disney pediu nossa ajuda para desenhar um novo monstrinho para os próximos filmes. Eles nos deram algumas orientações e nós mostramos nossa criatividade! Descobrimos que cada um tem um jeito de desenhar e que todos esses jeitos são legais. O importante de tudo, especialmente para nós do movimento escoteiro, é respeitarmos “os jeitos” de todas as pessoas.

Chegou o momento do encerramento. “Ah….. passou muito rápido”, dissemos muitos de nós. Gostamos muito desse encontro, afinal, se no movimento escoteiro somos todos irmãos, significa que o Grupo Escoteiro Santos Dumont é uma família! Família que é família se conhece bem, então, essa tarde em conjunto foi fundamental para nos conhecermos ainda mais. Já combinamos de fazer um novo encontro, mas PRESENCIALMENTE. Esperamos que seja logo!

Titan encerra o Ciclo acompanhando o solstício

Por Sofia Monteiro Pimentel e Chefe Priscila

Neste sábado, dia 20 de junho, a Tropa Titan fez o encerramento do seu Ciclo de atividades. Foi um semestre bastante diferente de outros, pois nossos encontros foram fundamentalmente online. Ainda assim, foi especial, pois realizamos muitas atividades divertidas. E para fechar com chave de ouro, após a atividade, acompanhamos o Solstício de verão (no hemisfério Norte, aqui no Sul foi o solstício de inverno), ao vivo, transmitido diretamente de Stonehenge, na Inglaterra!

Este evento reúne anualmente milhares de pessoas! No entanto, devido à pandemia, esse ano as pessoas não puderam comparecer no local para ver esse lindo fenômeno. Mas graças à tecnologia o número de pessoas que acompanharam o pôr do sol do solstício foi ainda maior que em anos anteriores. Isso porque tudo foi transmitido ao vivo em redes sociais. E claro, nós não poderíamos ficar de fora.

Esse evento é tão especial por quê?

Pois o sol se põe exatamente entre as pedras, que compõe o monumento arqueológico de Stonehenge. Esse local tem mais de 4 mil anos de idade e sua estrutura de pedras tem em torno de 5 metros de altura. É um ponto turístico, religioso e de contemplação!

Alguns jovens e chefes da Tropa Titan desfrutaram desse momento lindo! Inclusive, os mais dispostos acompanharam o nascer do sol à uma hora da manhã (horário no Brasil). Que o solstício nos anuncie e traga boas notícias para que logo “tornemos a nos ver”.

Desafio do Feriado!

Por Laura Negri Michels

Durante o feriado de Corpus Christi (de 11 a 14 de junho) nós da Tropa Titan fomos desafiados pela chefia para fazer várias atividades na semana. Por causa desse feriado não tivemos reunião tradicional por vídeo conferência, mas todos os dias recebemos desafios e tínhamos que entregar as respostas no grupo da patrulha. Cada resposta valia um ponto para a bandeirola de eficiência. Por quatro dias, pela manhã, recebemos as informações de cada tarefa.

Os desafios selecionados foram:

– vídeo da promessa em libras (uma oportunidade para quem quer a especialidade de Libras);
– maquetes de pioneirias (um treino que esperamos logo colocar em prática em um acampamento);
– organização de um kit de sobrevivência (afinal, estamos sempre alerta, nunca se sabe quando vamos precisar utilizar);
– preparação de bolo de frigideira (gostosura obrigatória no cardápio do próximo acampamento) e;
– vídeos sobre o consumo consciente de água e energia (um “esquenta” para o MutEco, que realizaremos no segundo semestre).

Eu achei essas atividades bem interessantes porque foram atividades que eu nunca havia feito antes e foi algo fora da rotina. Gostei principalmente da atividade de libras, pois sempre tive interesse em aprender mas nunca fui atrás.

Escoteiros em atividades de patrulha online

Realizar atividades de patrulhas faz parte do programa educativo do ramo escoteiro. Quando as atividades são presenciais vários são os desafios para garantir sua realização: decidir o que fazer, preparar a programação, solicitar autorização da Diretoria. No entanto, quando estamos em isolamento social, realizando encontros exclusivamente virtuais, o desafio de realizar atividades em patrulhas é ainda maior.

Ainda assim, os monitores da Tropa Escoteira Titan aceitaram com muito entusiasmo a proposta de organizar, e realizar, atividades de patrulha virtuais. E resolveram compartilhar a experiência que tiveram no dia 23 de maio de 2020, todos conectados em casa e unidos pelo propósito de fazer escotismo e aventurar-se com seu grupo de amigos!

Águia – muita conversa e diversão

Por João Vitor Gonçalves

Nossa aventura em patrulha e em formato online, que acabou sendo condecorada como a primeira atividade de patrulha realizada de maneira virtual, foi avaliada por nós como muito legal e divertida. O fato de não ser a mesma coisa que uma atividade de patrulha “ao vivo e a cores” e com as diversas limitações que encontramos no caminho não impediu que nos divertíssemos.

Fizemos algumas atividades relacionadas a especialidades e progressão para garantir que todos se saíssem muito bem no final da quarentena com diversas especialidades e algum avanço significativo na progressão.

Após esse momento “mais formal”, nós realizamos um jogo, conhecido popularmente como “Stop!” que foi muito divertido e nos fez rir bastante, mesmo a distância. Acabamos optando por fazer uma atividade mais curtinha primeiro em função das limitações encontradas e, segundo, para não deixar nenhum dos jovens desanimados para o dia seguinte, data dos Jogos da Fraternidade.

Como eu já mencionei anteriormente, as atividades online possuem diversas limitações (conexão da internet, falta de contato físico) e com certeza não são tão boas como as presenciais, porém, mesmo assim, fizemos nosso melhor possível para tornar a atividade o mais divertida possível, e bom… entendo que nós até que conseguimos!  Apenas o fato de estarmos ali, juntos, vendo uns aos outros em patrulha, já é algo sensacional e permite, inclusive, deixar todos com um sorriso no rosto.

As atividades de patrulha por sua vez, são extremamente importantes, pois elas fortalecem o laço existente dentro das patrulhas e torna os membros mais amigos uns dos outros, facilitando a convivência em ambientes de acampamentos e outras atividades realizadas entre as patrulhas. Por isso, mesmo que de maneira virtual, as atividades de patrulha são extremamente importantes para a convivência harmoniosa entre todos os membros da patrulha.

 

Condor assiste o filme Troop Zero

Por Matheus Santana Labre

A Patrulha Condor decidiu assistir em conjunto um filme, seguido de debate sobre os temas abordados. O desafio começou na definição da plataforma para que pudéssemos assistir em conjunto… com algumas ajudinhas, tudo funcionou bem.

Troop Zero conta a história de uma garota que quer formar uma tropa escoteira feminina para participar do Jamboree. Porém, tem um pequeno detalhe: a tropa dela é formada por pessoas “excluídas”, quer dizer, pessoas que não são aceitas na sociedade do jeito que elas são. Com o desenvolver da história elas aprendem que não importa o que os outros pensam sobre elas, o importante mesmo é a união e amizade que cultivam entre si.

No final do filme fizemos um debate e percebemos sua correlação com quatro artigos da Lei Escoteira, que são: 2. O escoteiro é leal; 4. O escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais escoteiros; 5. O escoteiro é cortês; 8. O escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades.

Foi um momento muito divertido, especialmente pelas risadas que demos juntos, afinal, o filme está repleto dos clichês escoteiros, como a venda de biscoitos na rua! Ainda assim, o filme nos deu várias lições que levaremos para a vida e recomendamos que você também assista!

Na minha opinião, as atividades de patrulha são momentos bem importantes para os jovens desenvolverem a autonomia, já que precisamos organizar a atividade com pouco (ou, às vezes, nenhum) auxílio da chefia. É necessário escolher o que vamos fazer na atividade, preparar a programação, fazer o projeto de segurança e etc. Ainda que trabalhoso, são momentos para a patrulha se divertir, aprender em conjunto e, principalmente, se unir e fortalecer a amizade.

 

Falcão – campeonato de nós e stop escoteiro

Por Gabriel Henrique Vernizze Dalke

A Patrulha Falcão também realizou sua atividade online em um encontro marcado em uma sala do aplicativo hangouts. Foi nossa primeira atividade de patrulha online e realizamos um campeonato de  amarras e jogamos “Stop escoteiro”.

Iniciamos a atividade com um campeonato de nós preparado pelo monitor, quem fez uma lista com vários  tipos  de nós e foi desafiando a todos a realizarem. Aqueles que não sabiam fazer, aprendiam na hora, apoiado pelos demais membros da patrulha. Começamos pelos mais simples, como os nós Direito e Escota, e depois passamos por outros menos conhecidos por nós, como a Volta da Ribeira, Volta do Fiel e o Pescador Duplo.

Também nos divertimos bastante com o jogo de stop escoteiro. Definimos em conjunto vários temas, como nomes de especialidades, temas para atividades e acampamentos para depois da quarentena, nomes de pessoas do GESD e nomes de nós e amarras. Você é capaz de responder todos esses temas com a letra “S”?

Fechamos nosso encontro com uma conversa sobre especialidades e decidimos fazer uma em conjunto. Cada um dos participantes ficou responsável por pesquisar as informações para dois itens, em uma semana compartilharemos as pesquisas e assim cada pessoa poderá apresentar ao seu chefe assessor.

Para mim, as atividades de patrulha procuram atrair o interesse dos escoteiros criando espaços divertidos e atraentes, visando a troca de conhecimentos e servem, principalmente, como um momento para unir e fortalecer as amizades da patrulha.

 

Gavião – diversão com tecnologia

Por Lucas Pontes

A patrulha Gavião parecia estar treinando para o Scout E-Sport League, pois definimos jogar dois jogos online: Stop e Gartic.io.

Stop é um jogo bem popular no qual o vencedor é quem escreve mais palavras com uma letra determinada, por exemplo a letra ‘’P’’.

Já o Gartic.io tem por objetivo acumular o maior número de pontos obtidos por meio de desenhos acertados, ou de interpretações corretas. A cada rodada, um dos jogadores é designado a desenhar uma determinada palavra. Caso alguém acerte esta palavra, tanto ela quanto o desenhista ganham pontos e a cada novo acerto a premiação de pontos passa a ser menor, tendo o limite mínimo de 1 ponto.

Foi uma ótima estratégia para colocarmos nossas habilidades intelectuais e artísticas à prova. Ambas são fundamentais no movimento escoteiro. Na verdade, já estamos ansiosos para colocá-las em prática nos jogos escoteiros em acampamentos e, claro, nos esquetes do Fogo de Conselho.

 

E estas foram as atividades realizadas pelas patrulhas da Tropa Titan. E o resumo dos aprendizados é que realmente o escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades, buscando alternativas para manter aceso o espírito escoteiro, mesmo em situação de isolamento social e impossibilidade de realização de atividades ao ar livre. Sempre Alerta!!!!

 

Escoteira faz primeira Jornada de Travessia virtual

Por Izabella Güther Camati de Oliveira  

No dia 17 de maio de 2020, dois meses depois do início da pandemia, eu fiz algo que nunca teria imaginado ser possível fazer um dia: uma Jornada de Travessia Virtual. Confesso que, quando me foi proposta essa maneira de fazer a Jornada, parte fundamental do caminho até a Lis de Ouro, 100% online, minhas expectativas eram bem baixas. Cheguei a pensar que não seria tão especial quanto uma jornada tradicional. Eu e a chefia pensamos muito se realmente compensava fazê-la agora ou se seria melhor esperar até o retorno das atividades presenciais. No final das contas, não poderíamos ter tomado decisão melhor. Foi tudo feito com carinho e muito bem planejado pelos chefes.

A jornada ocorreu naquele dia, 17 de maio, com início às 09h e encerramento às 15h30, totalizado seis horas e meia de um caminhar mental sem pausas. Montamos um grupo no whatsapp (chefe Priscila, chefe Fábio e eu) para nos comunicarmos durante o dia. Também conversamos pelo hangouts no começo e fim da jornada.

Na noite anterior (sábado), a chefia me entregou um mapa da cidade e as cartas que eu só poderia abrir na manhã seguinte e respeitando uma ordem.

As atividades foram das mais simples, como tirar azimute e responder questões a respeito de habilidades que adquiri na minha caminhada na tropa, até as mais reflexivas, como fazer um infográfico com alguns dos momentos que mais me marcaram no ramo escoteiro e escrever uma carta para “a Iza de 2030”.

Tive também que colocar minhas habilidades de cozinheira em prática para fazer um bolo de frigideira, anotar a receita e tirar fotos, as quais seriam passadas para a tropa mais para frente.

Me emocionei gravando um vídeo de despedida para a minha patrulha. Aproveitei para dar a eles conselhos baseados na minha vida como escoteira e dizer que cada um tem um grande espaço no meu coração.

E, como na maioria das jornadas de travessia o jovem convida um de seus irmãos escoteiros para acompanhá-lo na caminhada, a chefia não deixou esse detalhe passar batido. Contataram alguns amigos meus e pediram para que eles gravassem vídeos contando algum momento que passamos juntos e me incentivando a continuar (os quais foram enviados a mim ao longo do “percurso” e da abertura das cartas).

Chegando ao final desse “caminhar mental”, pude ter certeza de que eu estava mais do que pronta para a minha passagem. E agora, como guia, sei que até os dias mais simples podem resultar em grande aprendizado.

Eu não fazia ideia de como tudo ia funcionar, e acredito que tenha sido um grande desafio para os chefes também, afinal, foi preciso inovar bastante para tornar isso possível.

A jornada superou imensamente as minhas expectativas. Agora, me sinto ainda mais parte da Tropa Titan mesmo saindo dela… é uma sensação incrível pensar que eu consegui deixar um “legado” lá dentro e que muito provavelmente tem alguém se espelhando em mim.

E claro, fico muito feliz em dizer que fiz uma das primeiras Jornadas de Travessia online, e a primeira dentro do GESD.

Sempre Alerta!