Escoteiros em atividades de patrulha online

Realizar atividades de patrulhas faz parte do programa educativo do ramo escoteiro. Quando as atividades são presenciais vários são os desafios para garantir sua realização: decidir o que fazer, preparar a programação, solicitar autorização da Diretoria. No entanto, quando estamos em isolamento social, realizando encontros exclusivamente virtuais, o desafio de realizar atividades em patrulhas é ainda maior.

Ainda assim, os monitores da Tropa Escoteira Titan aceitaram com muito entusiasmo a proposta de organizar, e realizar, atividades de patrulha virtuais. E resolveram compartilhar a experiência que tiveram no dia 23 de maio de 2020, todos conectados em casa e unidos pelo propósito de fazer escotismo e aventurar-se com seu grupo de amigos!

Águia – muita conversa e diversão

Por João Vitor Gonçalves

Nossa aventura em patrulha e em formato online, que acabou sendo condecorada como a primeira atividade de patrulha realizada de maneira virtual, foi avaliada por nós como muito legal e divertida. O fato de não ser a mesma coisa que uma atividade de patrulha “ao vivo e a cores” e com as diversas limitações que encontramos no caminho não impediu que nos divertíssemos.

Fizemos algumas atividades relacionadas a especialidades e progressão para garantir que todos se saíssem muito bem no final da quarentena com diversas especialidades e algum avanço significativo na progressão.

Após esse momento “mais formal”, nós realizamos um jogo, conhecido popularmente como “Stop!” que foi muito divertido e nos fez rir bastante, mesmo a distância. Acabamos optando por fazer uma atividade mais curtinha primeiro em função das limitações encontradas e, segundo, para não deixar nenhum dos jovens desanimados para o dia seguinte, data dos Jogos da Fraternidade.

Como eu já mencionei anteriormente, as atividades online possuem diversas limitações (conexão da internet, falta de contato físico) e com certeza não são tão boas como as presenciais, porém, mesmo assim, fizemos nosso melhor possível para tornar a atividade o mais divertida possível, e bom… entendo que nós até que conseguimos!  Apenas o fato de estarmos ali, juntos, vendo uns aos outros em patrulha, já é algo sensacional e permite, inclusive, deixar todos com um sorriso no rosto.

As atividades de patrulha por sua vez, são extremamente importantes, pois elas fortalecem o laço existente dentro das patrulhas e torna os membros mais amigos uns dos outros, facilitando a convivência em ambientes de acampamentos e outras atividades realizadas entre as patrulhas. Por isso, mesmo que de maneira virtual, as atividades de patrulha são extremamente importantes para a convivência harmoniosa entre todos os membros da patrulha.

 

Condor assiste o filme Troop Zero

Por Matheus Santana Labre

A Patrulha Condor decidiu assistir em conjunto um filme, seguido de debate sobre os temas abordados. O desafio começou na definição da plataforma para que pudéssemos assistir em conjunto… com algumas ajudinhas, tudo funcionou bem.

Troop Zero conta a história de uma garota que quer formar uma tropa escoteira feminina para participar do Jamboree. Porém, tem um pequeno detalhe: a tropa dela é formada por pessoas “excluídas”, quer dizer, pessoas que não são aceitas na sociedade do jeito que elas são. Com o desenvolver da história elas aprendem que não importa o que os outros pensam sobre elas, o importante mesmo é a união e amizade que cultivam entre si.

No final do filme fizemos um debate e percebemos sua correlação com quatro artigos da Lei Escoteira, que são: 2. O escoteiro é leal; 4. O escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais escoteiros; 5. O escoteiro é cortês; 8. O escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades.

Foi um momento muito divertido, especialmente pelas risadas que demos juntos, afinal, o filme está repleto dos clichês escoteiros, como a venda de biscoitos na rua! Ainda assim, o filme nos deu várias lições que levaremos para a vida e recomendamos que você também assista!

Na minha opinião, as atividades de patrulha são momentos bem importantes para os jovens desenvolverem a autonomia, já que precisamos organizar a atividade com pouco (ou, às vezes, nenhum) auxílio da chefia. É necessário escolher o que vamos fazer na atividade, preparar a programação, fazer o projeto de segurança e etc. Ainda que trabalhoso, são momentos para a patrulha se divertir, aprender em conjunto e, principalmente, se unir e fortalecer a amizade.

 

Falcão – campeonato de nós e stop escoteiro

Por Gabriel Henrique Vernizze Dalke

A Patrulha Falcão também realizou sua atividade online em um encontro marcado em uma sala do aplicativo hangouts. Foi nossa primeira atividade de patrulha online e realizamos um campeonato de  amarras e jogamos “Stop escoteiro”.

Iniciamos a atividade com um campeonato de nós preparado pelo monitor, quem fez uma lista com vários  tipos  de nós e foi desafiando a todos a realizarem. Aqueles que não sabiam fazer, aprendiam na hora, apoiado pelos demais membros da patrulha. Começamos pelos mais simples, como os nós Direito e Escota, e depois passamos por outros menos conhecidos por nós, como a Volta da Ribeira, Volta do Fiel e o Pescador Duplo.

Também nos divertimos bastante com o jogo de stop escoteiro. Definimos em conjunto vários temas, como nomes de especialidades, temas para atividades e acampamentos para depois da quarentena, nomes de pessoas do GESD e nomes de nós e amarras. Você é capaz de responder todos esses temas com a letra “S”?

Fechamos nosso encontro com uma conversa sobre especialidades e decidimos fazer uma em conjunto. Cada um dos participantes ficou responsável por pesquisar as informações para dois itens, em uma semana compartilharemos as pesquisas e assim cada pessoa poderá apresentar ao seu chefe assessor.

Para mim, as atividades de patrulha procuram atrair o interesse dos escoteiros criando espaços divertidos e atraentes, visando a troca de conhecimentos e servem, principalmente, como um momento para unir e fortalecer as amizades da patrulha.

 

Gavião – diversão com tecnologia

Por Lucas Pontes

A patrulha Gavião parecia estar treinando para o Scout E-Sport League, pois definimos jogar dois jogos online: Stop e Gartic.io.

Stop é um jogo bem popular no qual o vencedor é quem escreve mais palavras com uma letra determinada, por exemplo a letra ‘’P’’.

Já o Gartic.io tem por objetivo acumular o maior número de pontos obtidos por meio de desenhos acertados, ou de interpretações corretas. A cada rodada, um dos jogadores é designado a desenhar uma determinada palavra. Caso alguém acerte esta palavra, tanto ela quanto o desenhista ganham pontos e a cada novo acerto a premiação de pontos passa a ser menor, tendo o limite mínimo de 1 ponto.

Foi uma ótima estratégia para colocarmos nossas habilidades intelectuais e artísticas à prova. Ambas são fundamentais no movimento escoteiro. Na verdade, já estamos ansiosos para colocá-las em prática nos jogos escoteiros em acampamentos e, claro, nos esquetes do Fogo de Conselho.

 

E estas foram as atividades realizadas pelas patrulhas da Tropa Titan. E o resumo dos aprendizados é que realmente o escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades, buscando alternativas para manter aceso o espírito escoteiro, mesmo em situação de isolamento social e impossibilidade de realização de atividades ao ar livre. Sempre Alerta!!!!

 

Escoteira faz primeira Jornada de Travessia virtual

Por Izabella Güther Camati de Oliveira  

No dia 17 de maio de 2020, dois meses depois do início da pandemia, eu fiz algo que nunca teria imaginado ser possível fazer um dia: uma Jornada de Travessia Virtual. Confesso que, quando me foi proposta essa maneira de fazer a Jornada, parte fundamental do caminho até a Lis de Ouro, 100% online, minhas expectativas eram bem baixas. Cheguei a pensar que não seria tão especial quanto uma jornada tradicional. Eu e a chefia pensamos muito se realmente compensava fazê-la agora ou se seria melhor esperar até o retorno das atividades presenciais. No final das contas, não poderíamos ter tomado decisão melhor. Foi tudo feito com carinho e muito bem planejado pelos chefes.

A jornada ocorreu naquele dia, 17 de maio, com início às 09h e encerramento às 15h30, totalizado seis horas e meia de um caminhar mental sem pausas. Montamos um grupo no whatsapp (chefe Priscila, chefe Fábio e eu) para nos comunicarmos durante o dia. Também conversamos pelo hangouts no começo e fim da jornada.

Na noite anterior (sábado), a chefia me entregou um mapa da cidade e as cartas que eu só poderia abrir na manhã seguinte e respeitando uma ordem.

As atividades foram das mais simples, como tirar azimute e responder questões a respeito de habilidades que adquiri na minha caminhada na tropa, até as mais reflexivas, como fazer um infográfico com alguns dos momentos que mais me marcaram no ramo escoteiro e escrever uma carta para “a Iza de 2030”.

Tive também que colocar minhas habilidades de cozinheira em prática para fazer um bolo de frigideira, anotar a receita e tirar fotos, as quais seriam passadas para a tropa mais para frente.

Me emocionei gravando um vídeo de despedida para a minha patrulha. Aproveitei para dar a eles conselhos baseados na minha vida como escoteira e dizer que cada um tem um grande espaço no meu coração.

E, como na maioria das jornadas de travessia o jovem convida um de seus irmãos escoteiros para acompanhá-lo na caminhada, a chefia não deixou esse detalhe passar batido. Contataram alguns amigos meus e pediram para que eles gravassem vídeos contando algum momento que passamos juntos e me incentivando a continuar (os quais foram enviados a mim ao longo do “percurso” e da abertura das cartas).

Chegando ao final desse “caminhar mental”, pude ter certeza de que eu estava mais do que pronta para a minha passagem. E agora, como guia, sei que até os dias mais simples podem resultar em grande aprendizado.

Eu não fazia ideia de como tudo ia funcionar, e acredito que tenha sido um grande desafio para os chefes também, afinal, foi preciso inovar bastante para tornar isso possível.

A jornada superou imensamente as minhas expectativas. Agora, me sinto ainda mais parte da Tropa Titan mesmo saindo dela… é uma sensação incrível pensar que eu consegui deixar um “legado” lá dentro e que muito provavelmente tem alguém se espelhando em mim.

E claro, fico muito feliz em dizer que fiz uma das primeiras Jornadas de Travessia online, e a primeira dentro do GESD.

Sempre Alerta!

Drive-Thru Solidário do GESD

Por Ana Paula de Castro Estevam

Ainda que estejamos realizando as nossas atividades escoteiras em casa, nada nos impede de fazermos a nossa Boa Ação presencial seguindo todas as normas de segurança, não é mesmo, Família GESD????

O isolamento social devido ao COVID 19, doença provocada pelo novo coronavírus, não nos deixa indiferentes diante de tantas famílias precisando de ajuda neste momento. Foi assim que, em 4 dias, criamos um grupo de conversas reunindo jovens e escotistas e começamos a organizar o DRIVE THRU SOLIDÁRIO do GE SANTOS DUMONT. Nosso objetivo: apoiar as famílias atendidas pelas instituições RECRIANÇA e VOVÓ OTÍLIA.

Em pleno domingo à tarde fizemos uma reunião por vídeo chamada e juntos começamos a pensar nas ações. A principal delas era definir a data para que, o quanto antes possível, estas doações chegassem às famílias. Como gostamos de adrenalina, batemos o martelo para o sábado seguinte, em nossa sede e no horário de atividade presencial. Demais detalhes acertados, saímos desta reunião cheios de esperanças e expectativas para que o dia 30/05/2020 chegasse.

Na segunda-feira já tínhamos o banner de divulgação para as redes sociais e aí foi um trabalho de formiguinha mesmo, cada um fazendo a sua parte. Jovens de todas as seções, pais, escotistas, todos iniciaram a divulgação da ação. E daí, meus amigos, caiu nas redes sociais, já era! Foi de arrepiar ao abrir facebook, instagram, whatsapp durante toda a semana e ver a divulgação diária por parte de todos do GESD sobre o nosso DRIVE THRU.

Confesso que esperei por aquele sábado com a mesma expectativa que espero por um acampamento de grupo (ao final vocês vão entender o porquê kkk).

E o sábado chegou, com um sol lindo, típico do inverno curitibano que foi aquecendo o nosso dia e nos proporcionou muitos sorrisos, alegrias, surpresas e emoção. Aos poucos os escotistas envolvidos foram chegando, cada um já trouxe as doações que havia conseguido durante a semana. Organizamos a frente da sede e logo começaram a parar os primeiros carros. Com um largo sorriso, escondido atrás das nossas máscaras, fomos recebendo muitas doações, direto das janelas dos carros. Muitas famílias de nossos jovens passaram por lá para fazer a sua doação, matar as saudades da sede e poder ver, mesmo que de longe e rapidinho, um de seus chefes.

Mas algumas peculiaridades chamaram a nossa atenção, entre elas o relato de pessoas que sempre têm alimentos para doar no carro e que, ao verem a nossa ação, pararam e se somaram a campanha. Outros, ao passar e ver nossa faixa de divulgação, foram até o mercado mais próximo e voltaram para contribuir. Também o depoimento de uma lobinha, recém-chegada ao nosso Grupo, que disse estar muito ansiosa para o retorno das atividades presenciais, já que até então só participou das virtuais.

Um momento muito marcante foi com um morador de rua, que ao observar nosso movimento, se aproximou e nos pediu um tênis, já que o que ele estava usando, estava bastante gasto. Muitas foram as doações de roupas e sapatos recebidas, por isso, prontamente encontramos um calçado no tamanho apropriado para aquele senhor. Junto com o tênis, lhe entregamos um pacote de bolachas. Aí a surpresa: ele agradeceu, no entanto, disse que ficaria com o tênis, mas devolvia a bolacha para que pudesse ser entregue a outra pessoa mais necessitada (nos contou que faz suas refeições no albergue que lhe acolhe). Esta atitude mexeu muito conosco por inúmeros motivos, mas principalmente, porque nos faz acreditar que ainda há muitos SERES HUMANOS do bem.

Foi muito bonito e emocionante ver a nossa sede com tantas doações de roupas, alimentos, produtos de higiene e limpeza e, inclusive, um fogão. Foram pelo menos 90 carros que pararam ao longo da tarde de sábado. E os resultados são dignos de uma grande família, como a família GESD:

1 tonelada de alimentos

222 itens de limpeza

1.200 peças de roupas

120 livros e brinquedos

E como entregar tudo isso???

Fácil… (mas nem tanto assim kkk) Saíram do grupo, no próprio sábado, 1 kombi, 1 furgão e mais 4 carros lotados, mas lotados mesmo, com as doações para as instituições.

No entanto, mais do que doações, nosso dia terminou com muitos sorrisos, algo escondidos pelas máscaras, mas que transmitiam muita alegria e amor. Uma mistura de sentimentos, impossíveis de explicar, muito menos de mensurar.

Por isso tudo, deixo meu registro de gratidão à toda família GESD por abraçar a ideia e fazer essa ação acontecer.

Ah, e saímos da sede com uma certeza: logo realizaremos o DRIVE THRU PARTE II, nos aguardem…

Aqui estão algumas fotos. Se quiserem ver o álbum completo, é só clicar aqui.

 

Afinal, o que é SERVIR?

Por Maiara Miotti Cunha

No dia 09/05, o Clã Pioneiro Santos Dumont realizou sua atividade semanal rotineira durante a quarentena através de uma videochamada. Nesta ocasião, o tema central do fim de semana foi uma competência de caráter, com o seguinte item: “Ler e debater com seu clã, ou com outros clãs, usando a bibliografia escoteira recomendada para o Ramo, sobre o verdadeiro significado de ser pioneiro e do lema ‘Servir’, e sugerir formas variadas e interessantes de ação no momento atual”.

O Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa define como “servir” um verbo de significados como:

  1. Ajudar, auxiliar;
  2. Prestar serviços;
  3. Ser favorável, favorecer.

Dentro do escotismo e do clã pioneiro, o lema do ramo remonta a um acontecimento histórico. Em 1346, na Batalha de Crécy (Guerra dos Cem Anos), o rei João Luxemburgo, da Boêmia, foi morto em combate após vitória da Inglaterra. Sua nobreza e dedicação surpreenderam Eduardo, o Príncipe Negro, de Gales, que retirou seu escudo do local e o preservou com três plumas de avestruz, em formato semelhante a uma flor de lis. Nesse mesmo escudo, constava a inscrição ICH DIEN (“eu sirvo”, do alemão antigo), que inspiraria Baden Powell a considerar a herança dessas palavras como digna de ser portada por todos aqueles que demonstram com honra o espírito de ser um verdadeiro pioneiro.

Por sua vez, “pioneiro”, segundo o livro Clã Pioneiro em Ação, diz respeito àquele que:

  1. Pratica o serviço aos outros como uma forma de construir um mundo melhor;
  2. Viaja pelo mundo para conhecer e transformá-lo e, nesse processo, também se transforma;
  3. Compromete-se a viver os valores da Promessa e Lei escoteiras.

Em 1917, Baden Powell usou o termo “roover” para denominar o novo ramo que incentivava os jovens a manterem vínculos com o escotismo por iniciativa própria e a delinear projetos para suas vidas. A ideia expandiu-se até que em 1922 foi publicado o livro “Roovering to Success”. No Brasil, foi traduzido por Bonifácio Antônio Borba e lançado em 1939 com o nome “Caminho para o sucesso”, no qual recebeu a denominação de ramo pioneiro.

Com a apresentação desses conceitos, bem como a aplicação de diversas dinâmicas relacionadas ao tema, o clã conseguiu criar um momento interessante de troca de experiências pessoais e percepção do impacto dos valores escoteiros (ou mais especificamente, pioneiros) diariamente na construção de vidas e de um mundo melhores. Ao que diz respeito na última linha sobre “formas variadas e interessantes de ação no momento atual”, foi proposto um desafio pelos organizadores da atividade de 7 metas, uma para cada dia da semana, com pequenos gestos a serem feitos em tempos de pandemia, mas que demonstram da mesma forma o verdadeiro significado de “Servir”.

Referências:

O LEMA PIONEIRO. Disponível em: http://grupoescoteirojabuti.org.br/index.php/pioneiros/a-mistica-do-cla/o-lema-pioneiro/. Acesso em: 19 maio 2020.

 

RAMO Pioneiro. Disponível em: https://www.escoteiros.org.br/ramo-pioneiro/. Acesso em: 19 maio 2020.

CLÃ Pioneiro em Ação. 2018. Documento oficial elaborado pela União dos Escoteiros do Brasil. Disponível em: https://www.escoteiros.org.br/wp-content/uploads/2019/06/Cla_pioneiro_em_acao.pdf. Acesso em: 19 maio 2020.

 

QUARENTENA

 

Por Alice de Souza Rocha e Murilo de Souza Rocha

Devido ao Corona vírus, qualquer atividade que requer aglomeração de pessoas em lugares fechados foi suspensa e as recomendações exigem que evitemos sair de casa sem um motivo de extrema necessidade. Porém, mesmo de quarentena, as atividades do escoteiro não pararam e os chefes estão a todo vapor para proporcionar as atividades online para os jovens não ficarem à toa em casa.

Algumas das atividades são como danças de rede social (tik tok). Também fazemos atividades em chamada de vídeo com nossos parceiros de patrulha fazendo músicas escoteiras , gravamos vídeos completando músicas que os chefes da nossa sessão nos propõe, desenhamos o  nome da patrulha cada um fazendo uma letra com o nariz.

Jogo da cidade virtual – Minha patrulha pelo mundo

Por Mariana de Castro Estevam

Estamos em casa, mas isso não nos impede de ter a nossa rotina normal do fim de semana, não é mesmo, escoteiros? E no sábado dia 02 de maio tivemos o Jogo da Cidade Virtual!

Isso mesmo, foi um jogo da cidade de forma virtual, tendo a participação de 110 jovens, 25 patrulhas, organizadas em 19 equipes, e 21 escotistas! Muita gente!

Participaram as tropas escoteiras Titan, Senta a Púa e Fênix do GE Santos Dumont, Escorpion do GE Pedro Macedo, Cosmos do GE Marechal Rondon, Tapejara do GE Tapejara e a tropa Ninho das Águias do GE Ar Thalia.

A atividade consistia em uma competição entre patrulhas, bem divertida! A chefia se superou ao elaborar as atividades, que estavam muito interessantes. Foi muito legal conhecer outros escoteiros, principalmente para mim, que estou em período introdutório na tropa Titan.

As bases foram espalhadas pelo mundo, com o tema história e curiosidades sobre o escotismo!

A aventura começou pela Ilha de Brownsea, onde recordamos o primeiro acampamento escoteiro, conhecemos a pedra comemorativa e ainda “reinventamos” os artigos da lei escoteira com emojis. Seguimos para o continente africano, que foi fonte de inspiração de BP para várias coisas, entre elas o aperto de mão escoteiro. Foi lá, também, onde nosso grande chefe viveu seus últimos dias.

Viajamos até Kandersteg, na Suíça para conhecer o jamboree permanente – uma oportunidade para relembrarmos nossos melhores momentos no escotismo! Encontros mundiais foi, também, assunto para West Virginia, onde o desafio foi conhecer distintivos dos jamborees mundiais e sonhar com nossa possível participação no próximo encontro, na Coreia do Sul. Cabo Canaveral foi cenário para praticarmos nossas habilidades artísticas com a reprodução da chegada do homem à lua (ou seria mais apropriado dizer, chegada dos escoteiros? *).

Capadócia na Turquia esteve no nosso roteiro para prestarmos nossa homenagem ao padroeiro dos escoteiros, São Jorge, que nos deixou um bonito exemplo: serviço ao próximo com empenho, dedicação e com o coração alegre. E na índia, fomos atrás da origem do jovem Kim, quem nos inspira a praticarmos nossas habilidades de observação.

Finalmente a aventura desembarcou no Brasil! Primeira parada em Matozinhos, Minas Gerais, e ali conhecemos a bravura do chefe Marcelo Diniz, reconhecido com a medalha Cruz de Valor Caio Vianna Martins em 2019. No litoral, na cidade de Antonina assistimos a história dos jovens escoteiros que fizeram uma grande jornada para defender sua cidade, tal como assumimos em nossa promessa escoteira. E a parada final: Curitiba, com a celebração da fraternidade escoteira entre cinco grupos escoteiros que celebraram a amizade em mais uma grande atividade escoteira.

O resultado da competição? Primeiro lugar para a “Fraternidade Escoteira”; o segundo para “Amamos o escotismo”; e o terceiro foi para “Quando será o próximo encontro?”

Nesse momento, que é muito delicado com toda essa situação que estamos vivendo, precisamos nos cuidar. Porém isso não impede de estarmos juntos (via internet, claro), até mesmo nas atividades escoteiras!

Então esperamos que todos estejam se cuidando e se protegendo, para que logo estejamos juntos novamente. J

Sempre Alerta!

Gostou tanto da atividade que gostaria de recordá-la? Assista as cerimônias de abertura e encerramento em:

https://www.facebook.com/escoteirospr/videos/659496441300297/

https://www.facebook.com/escoteirospr/videos/1244995659178381/

* Dos doze astronautas que até hoje pisaram na Lua, onze foram escoteiros.

Gincana solidária online

No dia 18/04, o Clã e a Sênior do GESD fizeram uma gincana solidária online, organizada pelas pioneiras Luísa Secco e Maria Luísa Kovalhuk, com jogos, dinâmicas e conversas para falar sobre a quarentena e desmistificar algumas coisas sobre o novo coronavírus e a COVID-19.

Para encerrar a gincana, pedimos para quem pudesse, que enviasse doações em dinheiro à campanha Toda Vida Importa, organizada pela Liga Brasileira de Lésbicas do Paraná em conjunto com outros coletivos e ativistas autônomos. Nossa meta era de 10 cestas. O resultado foi surpreendente e muito positivo: Clã e Sênior conseguiram arrecadar juntos R$800, ou seja, 16 cestas básicas que serão distribuídas pela LBL-PR para as pessoas em necessidade de Curitiba e Região Metropolitana. Estamos muito felizes por termos participado da campanha e ajudado quem precisa durante esse período difícil. SAPS!

Desafio da Natureza das Cidades

Por Bruna Pioli e Carol Dias

O artigo 6 da Lei Escoteira diz que o escoteiro é bom para os animais e as plantas. Isso mostra como o Movimento é envolvido com o meio ambiente e como os jovens estão conscientes da importância da fauna e da flora para o planeta Terra. Porém, será que mesmo com a COVID-19 e a recomendação de ficar em casa, os jovens estão em contato com a natureza? Os jovens do Grupo Escoteiro Santos Dumont certamente estão!

Durante os dias 24 e 27 de abril todas as seções foram convidadas a participar do Desafio da Natureza das Cidades. O objetivo era fazer um levantamento da biodiversidade urbana e conseguir o maior número de registro de espécies de plantas, animais e fungos das áreas urbanizadas. Quatro cidades do Brasil foram convidadas a participar desse desafio e Curitiba estava entre uma das escolhidas.

Foram mais de 200 fotos enviadas juntando a Tropa Titan e o Clã Pioneiro! Portanto, a participação do GESD foi importantíssima para o Desafio e o principal: para fortalecer o contato dos jovens com a natureza. No dia 28 de abril foi divulgado que Curitiba teve a maior participação do Brasil! Foram mais de 2.600 observações. A comissão organizadora parabenizou todos os participantes e nos esperam no desafio do ano que vem.

Páscoa Solidária

Por Mariana Mazur Lor Dambrós

É uma tradição da tropa Titan ir acampar no feriado da Páscoa. No entanto, este ano foi diferente. Cada um ficou em sua casa para descobrir como diferentes tradições religiosas passam a Páscoa e relembrou o seu verdadeiro significado.

A nossa atividade contou com a descoberta de como os luteranos alemães, mórmons, judeus e católicos orientais de rito bizantino (ucranianos) celebram a páscoa. Cada patrulha contou com a ajuda de um especialista para preparar sua apresentação:

  • Sophia Anna D’Haese Roennfeldt nos falou sobre a tradição alemã de pintar ovos e pendurá-los em árvores, as Osterbaum;
  • Amanda do Nascimento Oliveira nos contou sobre a tradição dos cupcakes e as velas, que representam a luz para encontrar Jesus, um jeitinho especial de comemorar a páscoa para os mórmons;
  • Fernando Brodeschi nos apresentou o Kearat, um prato especial de páscoa para os judeus, com 6 alimentos: ovo, osso, raízes amargas, pasta de maçã, raiz vegetal não amarga, ervas amargas;
  • e Claudiane Piaceski Pontes nos contou sobre o significado das pêssankas (vida, saúde e prosperidade) e a importância da benção dos alimentos para os católicos ucranianos.

Finalmente, a atividade concluiu com a preparação do nosso presente de Páscoa: todos escreveram cartas para idosos e profissionais da saúde como um sinal de amor fraterno nesse tempo difícil. Esse foi um convite que recebemos da Instituição Amor Fraterno que está coordenando ação para levar carinho, força e agradecimento a esses dois públicos. Também resolvemos escrever uma carta especial para os familiares da Tropa Titan que estão trabalhando nos serviços essenciais.

Na minha opinião foi uma atividade muito legal, reforçando o quão importante é lembrar a simbologia que a páscoa nos traz.

Solidariedade não tem hora marcada!

Por Kaue Klingelfus Badia e Priscila da Paz Vieira

O COVID-19 chegou ao Brasil em fevereiro, com a repatriação de brasileiros que estavam na China*. Quem diria que seríamos impactados de forma tão rápida! A primeira decisão foi a suspensão das atividades escoteiras presenciais. Os calendários das seções começaram a ser reorganizados para nos adaptarmos a nova realidade.

No movimento escoteiro desenvolvemos a habilidade de estar sempre alerta para as situações que ocorrem no nosso entorno. Além disso, é nossa responsabilidade fazer o melhor possível para servir aqueles que necessitam. Desse compromisso, surgiu uma campanha apoiada por todo o nosso Grupo Escoteiro: a campanha de doação de cestas básicas.

A ideia surgiu das diversas notícias na televisão sobre a situação difícil que famílias em Curitiba estão enfrentando devido ao corona-vírus. Muitas pessoas que dependem da renda diária de suas lojas, lanchonetes, banquinhas ou pequenos negócios informais ficaram impossibilitadas de trabalhar durante esse período de “quarentena”. Então, a proposta foi mobilizar as famílias do GE Santos Dumont e seus amigos para a arrecadação de cestas básicas.

A campanha durou uma semana e já no primeiro dia de doações conseguimos 25 cestas. No final do período contabilizamos a arrecadação de R$ 3.180 reais, que foram transformados em 60 cestas básicas. Na segunda-feira, dia 6 de abril, as doações foram entregues na sede da Provopar Paraná, quem se encarregou de distribuí-las à população necessitada.

Um agradecimento especial à mãe Marcia Klingelfus e ao escoteiro Kauê que cuidaram da compra das cestas, da sua entrega e da prestação de contas a todos os participantes da campanha.

Mais um exemplo de solidariedade e compromisso do movimento escoteiro com a sociedade na qual vivemos. Afinal de contas, como diz nossa promessa escoteira: “ajudamos o próximo em toda e qualquer ocasião e praticamos diariamente uma boa ação”!

* Nota do editor: posteriormente à redação dessa matéria, ficou provado que o primeiro paciente contaminado com a COVID-19 retornou de uma viagem à Itália. A informação do jovem, no entanto, não altera o propósito da boa ação efetuada.

Veja os vídeos clicando nos links abaixo: