GESD participa do JOTI, mas em abril?

Por Lucas. P. Pontes

O JOTI é basicamente um encontro de escoteiros, ou como chamamos, de Jamboree na Internet. Nós escoteiros recebemos e realizamos tarefas e desafios e vamos somando pontos. Quanto mais tarefas realizamos, mais pontos somamos. As atividades devem ser feitas com capricho para valerem mais pontos. Normalmente o JOTI é em outubro, mas por que jovens de todo o mundo o fizeram em abril? Essa edição especial foi proposta pela Organização Mundial do Escotismo para podermos ter atividades durante a quarentena em decorrência da pandemia do Covid-19 (Corona-Vírus). Mesmo tendo que permanecer em casa, nós escoteiros não paramos nunca e nos adaptamos às situações inesperadas!

Os escoteiros do mundo foram desafiados no período de 03 a 05 de abril para este encontro virtual. O Grupo Escoteiro Santos Dumont não ficaria de fora dessa aventura e diversas seções se engajaram. No caso da Tropa Titan, realizamos as atividades no dia 04 e nos encontramos via programa GotoMeeting. Participamos em 32 pessoas. Os temas dos desafios foram: saúde e bem-estar; centro humanitário; show de talentos jovem; e cidadania digital. Fizemos um vídeo com sugestões de hábitos saudáveis durante o período de isolamento social (exercite-se; faça meditação; tenha uma alimentação saudável, entre outras dicas). Criamos uma oração Titan e gravamos um vídeo para ensiná-la a outras pessoas. Em forma de reconhecimento, fizemos uma vídeo montagem agradecendo as doações que recebemos na campanha de doação de cestas básicas, doadas à famílias impactadas pelo corona-vírus. E a atividade de que mais gostamos: o show de talentos – onde pudemos descobrir talentosos irmãos escoteiros, como o editor de jogos digitais, um mágico, especialistas em lettering e em cobertura de chocolate, um apaixonado por acampamentos, famosas dançarinas tiktok, experts em stop motion e cubo mágico, além das artistas: a artesã e a declamadora!

Mesmo em tempos de isolamento social, pudemos participar de uma atividade internacional, uma oportunidade única para conhecermos escoteiros do mundo inteiro, prova que mesmo na quarentena conseguimos conhecer gente nova!

Hora do Planeta 2020 – com direito a Fogo de Conselho Virtual

Por Matheus Santana Labre

No sábado (28/03) a Tropa Escoteira Titan fez a segunda atividade virtual. No nosso horário normal de atividade tivemos uma reunião por chamada de vídeo com nossos chefes assessores novos (em alguns casos, os mesmos do ciclo anterior). Foi um momento para conversarmos mais sobre os nossos objetivos para esse ano (com direito a registro, para relembrarmos no final do ano), apresentar especialidades e conversar sobre a progressão.

À noite, para marcar nossa participação na Hora do Planeta, nos reunimos mais uma vez. A Hora do Planeta é um movimento internacional que tem por objetivo fazer um chamamento mundial sobre a importância do cuidado com o meio ambiente, e assim, avaliarmos os impactos do aquecimento global e nossa responsabilidade para reverter a situação.

Nosso encontro foi marcado para às 20:30 e nosso objetivo era: realizar um Fogo de Conselho Virtual. O encontro foi apresentado pelo chefe Gustavo que conduziu a live. Fogo de Conselho que se preze deve ter esquetes e essa foi a responsabilidade das patrulhas: preparar vídeos apresentando temas como: o consumo consciente, é dizer, consumir apenas o que é necessário; o meio ambiente; o uso sustentável da água; entre outros. A patrulha Gavião também fez uma paródia, considerando o mesmo tema. O pessoal fez um excelente trabalho, quer conferir? Assista os vídeos no nosso perfil no Facebook e no Instagram.

Apesar de termos utilizado o computador ou celular para nos conectarmos, todos contribuímos com a Hora do Planeta ao deixarmos as luzes das nossas casas desligadas durante todo o Fogo Virtual. E para encerrar com chave de ouro, a Canção da Despedida, que foi cantada pelo chefe Gustavo, ao vivo, e acompanhada por todos nós, das nossas casas. Foi um momento muito bonito para nos reunirmos, mesmo estando distantes, e para provarmos o verdadeiro espírito escoteiro.

Sempre alerta!

Nem o coronavírus para a Titan

Por Camilla Mitie Yoshizawa Kuribara

Dia 22 de março de 2020 foi realizada a primeira atividade escoteira da tropa Titan 100% online. No JOTI as patrulhas normalmente se reúnem em um local, mas no último sábado todos os jovens e escotistas ficaram nas suas casas. E a atividade foi assim devido à quarentena causada pelo COVID-19.

Cada uma das patrulhas (Águia, Condor, Falcão e Gavião) se reuniu por chamada de vídeo e os chefes foram enviando cartas com desafios para serem cumpridos. No total foram seis cartas e cada uma continha o tema da progressão escoteira, quer dizer: Período introdutório, Pista, Trilha, Rumo e Travessia.

Os desafios eram feitos de acordo com o tema das cartas e organizados para serem cumpridos pela internet. A mudança foi uma ótima alternativa para não pararmos as atividades escoteiras, além disso, uma oportunidade para avançarmos no desenvolvimento de nossas competências, rumo ao Lis de Ouro.

Alguns desafios como o de aprender e ensinar toda a patrulha a fazer o nó de escota possibilitou o maior conhecimento à toda a patrulha, o desafio da foto do seu quarto mostrou que todo escoteiro deve manter o seu quarto arrumado e seus materiais também.

O trabalho e esforço de cada jovem e escotista para que a atividade desse certo foi grande e recompensador, afinal, as atividades propostas foram realizadas com sucesso e todos se divertiram.

ATIVIDADES SUSPENSAS!

Senhores pais, amigos Escotistas,

Em razão das atuais preocupações com o coronavírus, e em sintonia com as autoridades, a Diretoria do GESD vem por meio desta mensagem que está seguindo as recomendações das Secretarias de Estado e Municipal e da União dos Escoteiros do Brasil e suspende todas as suas atividades presenciais até 30 de março pelo menos. Continuaremos acompanhando a situação e avisaremos qualquer mudança que houver, sempre visando a saúde e a segurança de todos.

Durante essa pausa, serão propostas atividades que os jovens possam fazer em suas casas para que eles continuem com suas progressões e tenham a oportunidade de passar o tempo de maneira construtiva. Vamos todos trabalhar juntos para que essa crise seja a mais passageira possível.

Cuidem-se e protejam-se todos.

Sempre Alerta!

Tropa Titan organiza o início do novo Ciclo

Por Gabriel Henrique Vernizze Dalke

No dia 29 de fevereiro de 2020 foi realizada uma Corte de Honra com monitores e sub monitores da Tropa Escoteira Titan para tratar sobre os últimos preparativos do Calendário, além de definir os cargos para a nova Corte, que assumiu no final de 2019.

Os jovens se encontraram às 11h30min na casa do escoteiro Lucas Pontes para avaliar, através de votos, sobre as atividades que deveriam ser mantidas ou tiradas do calendário. Definidas as atividades a votação foi encerrada e a proposta será apresentada à Assembleia de Tropa no primeiro dia do retorno. Concluída esta primeira parte, os escoteiros foram almoçar.

Após o almoço foi feita a escolha dos cargos da Corte de Honra, onde ficou estabelecido que o Presidente será o escoteiro Matheus Santana (coordena as reuniões da Corte, guarda o espírito escoteiro da Corte, envia os avisos aos demais monitores para que distribuam às patrulhas); o Comunicador o escoteiro Gabriel Dalke (cuida das redes sociais da Tropa – Facebook e Instagram); o Financeiro o escoteiro João Vitor Gonçalves (administra os recursos financeiros da Tropa); e o Escriba o escoteiro Lucas Pontes (responsável pelo registro das reuniões da Corte). Em seguida tiramos algumas fotos, para registrar este momento, e fizemos o encerramento. A Corte de Honra foi encerrada às 15h30min.

Com isso, está tudo preparado para o início de mais um Ciclo de atividades escoteiras da Tropa Titan, que, com certeza, será repleto de muitas aventuras e diversão. Estamos voltando!!!

GESD participa, pela segunda vez, da Meia Maratona de Curitiba 2020

Por Matheus Santana e João Vitor Gonçalves

A exemplo do que fizemos ano passado, no dia 09/02 as tropas escoteiras Titan e Senta a Pua, as Akelás das Alcateias Bagheera e Baloo e um dos mestres do Clã Pioneiro se reuniram para uma grande tarefa: animar e hidratar os corredores da meia maratona de Curitiba. No total, 28 pessoas do GESD participaram dessa atividade.

Nosso grupo de dividiu em dois pontos e o encontro ficou agendado para às 5h da manhã. A Titan se concentrou em frente à Unicuritba e ficou responsável pelo Posto 4 de hidratação (Rua Chile x R. Desembargador Westphallen) – ponto que coincidiu com a metade do percurso para aqueles que correram a meia maratona. Já a SAP se encontrou em frente à Clínica Veterinária Maestro e ficou responsável pelo Ponto 6 (Rua Guilherme Pugsley x R. Morretes).

Depois do lanchinho, nos preparamos para a chegada dos corredores. Nossa tarefa era simples (mas muito relevante): entregar os copinhos de água; garantir a limpeza do entorno, recolhendo o descarte dos atletas; e, possivelmente a mais importante, dar apoio moral para os corredores, animando-os a seguir com foco.

O que inicialmente parecia fácil, entregar a água, não foi tão simples assim. Recebemos, ao mesmo tempo, uma quantidade grande de atletas, que vinham correndo, com muita sede e desesperados por um copo de água. Somado a isso, com a velocidade e o desejo de não perder tempo, alguns copos acabaram caindo da nossa mão, explodindo no chão. Bem, podem imaginar que demos muitas risadas.

Foi uma atividade divertida! Uma grande oportunidade para divulgarmos o movimento escoteiro e ainda exercitarmos nosso compromisso de ajudar o próximo.

Sempre Alerta!

Escoteira do GESD faz campanha para ajudar a Sociedade Protetora dos Animais

por Izabella Güther Camati de Oliveira

As Insígnias de Envolvimento na Comunidade são uma forma de incentivar a participação comunitária ativa, contribuindo para a construção de uma sociedade justa, participativa e fraterna. É a parte do Programa Educativo que busca melhorar a consciência comunitária dos jovens.
Minha proposta para o projeto foi ajudar, de alguma forma, a Sociedade Protetora dos Animais (SPAC). De início, a ideia era uma arrecadação de dinheiro para a compra de rações para cães e gatos, mas por mudanças decretadas pela UEB o projeto sofreu algumas modificações. Sendo assim, a solução encontrada foi arrecadar tampinhas plásticas de qualquer embalagem. O projeto tomou início em 4 de maio de 2019, quando foi apresentado para todo o Grupo Escoteiro Santos Dumont.
Desde pequena eu sempre tive um enorme carinho por animais, então a primeira coisa que pensei quando decidi fazer a insígnia foi como eu encontraria um jeito de ajudar instituições carentes como a SPAC. Apenas algumas semanas depois, foi publicado no jornal uma matéria divulgando a mesma.
A Sociedade Protetora dos Animais é uma instituição muito carente que recolhe animais abandonados e lhes dá o melhor atendimento possível. São poucas as pessoas que a conhecem e contribuem com doações de ração, medicamento e materiais de limpeza.
O projeto se encerrou no dia 14 de setembro de 2019, tendo um total de 4 meses e 10 dias de duração.
A meta de tampinhas estipulada foi de 3.000 tampas, e arrecadamos por volta de 10.000!! Só tenho a agradecer todos os envolvidos no projeto. Sem vocês nada disso teria sido possível.
Para mim, esse projeto vai muito além de uma simples ajuda a uma instituição qualquer. Esse projeto representa mudança de vidas, tanto a minha, quanto a de quem recebeu as doações, sendo cães, gatos, ou voluntários.
Não existe nada mais gratificante do que ver o sorriso no rosto de quem recebeu as arrecadações.

• A SPAC continua precisando de doações e está aberta de segunda a sexta das 9h às 12h – 14h às 20h, sábados das 9h às 15h, domingos e feriados das 9h às 12h.

UEB convoca, e GESD apoia, campanha para desabrigados e desalojados de MG

Por Kaue Klingelfus Badia

O terceiro artigo da lei escoteira diz: “o escoteiro está sempre alerta para ajudar o próximo”. E foi justamente isso que fizemos após o chamamento da UEB Paraná (clique aqui para ler a notícia). As fortes chuvas do início do mês de fevereiro deixaram mais de 28 mil pessoas desalojadas em Minas Gerais. Mais de 4 mil ficaram sem suas casas.

Os escoteiros do Brasil ajudaram fortemente arrecadando alimentos, roupas e itens de limpeza para serem distribuídos aos afetados com as chuvas. A arrecadação do Paraná foi gigante pois muitos ajudaram. Ah, vale lembrar que as doações somaram pontos para os Jogos da Fraternidade, que vão acontecer no dia 24 de maio.

Tenho certeza de que todos os mineiros afetados deveriam estar precisando muito e ficaram super felizes em receber esses materiais. Para mim, que organizei uma campanha no meu prédio, junto com outros colegas que organizaram nos seus condomínios, foi uma boa oportunidade de praticar o escotismo, mas também de dar aquela esvaziada na casa tirando aquilo que já não usamos mais. Além do mais, foi importante para percebermos que outros precisam daquilo que temos em excesso.

GESD no JamCam 2020 – uma aventura inesquecível

O GESD participou com uma grande comitiva no JamCam 2020. Estivemos presentes com jovens nas tropas, com escotistas acompanhando os jovens e com muitos voluntários colaborando para o sucesso da maior atividade escoteira já feita no Brasil. E para contar como foi, vamos publicar três textos de quem esteve lá. Ah, não esqueça de clicar no link das fotos aqui! Como são muitas, não deu para publicar todas aqui. Boa leitura!

GESD no JAMCAM 2020 – um olhar dos jovens

Por Luana Pacheco Rodrigues da Cruz

JAMCAM! Um encontro de milhares de jovens, representantes de diferentes países, regiões, culturas, etnias e opiniões. Todos, porém, com um mesmo ideal: “deixar um mundo melhor para as próximas gerações”.

O 16º Jamboree Escoteiro Interamericano e 3º Camporee Escoteiro Interamericano ocorreu entre os dias 4 e 10 de janeiro. E não poderia existir lugar melhor para isso: uma das sete maravilhas do mundo, as Cataratas do Iguaçu e, junto com ela, a sua exuberante fauna e flora.

Só quem é escoteiro sabe as experiências e momentos vivenciados em uma semana de muitas aventuras e novos aprendizados. É inexplicável a felicidade de ter vivido esta experiência e cada um dos momentos como se fossem os últimos de nossas vidas. O calor, as noites mal dormidas, nada disso nos importou, já que a alegria e o espirito escoteiro foram maiores que qualquer dificuldade.

A criatividade escoteira também foi importante para que pudéssemos aproveitar ao máximo as atividades. O calor intenso foi amenizado com o simples uso do crachá que, em diversos momentos, se transformou em um ótimo leque. Está cansado? Qualquer canto foi utilizado para um cochilo rápido, o que garantiu que recuperássemos nossas energias para continuar as atividades… E assim conseguimos aproveitar mais os nossos dias, que passaram tão rápido, naquele templo sagrado.

Todas as atividades foram preparadas e pensadas com muito carinho para que pudéssemos, no dia a dia, nos tornarmos pessoas melhores.

As atividades noturnas, todas elas, foram incríveis e os momento de confraternização foram especiais. Sem dúvida serão lembradas para sempre.

De todo o aprendizado vivido e situações compartilhadas aprendemos que sempre teremos um amigo, um irmão escoteiro, por perto e com ele poderemos dividir nossos sorrisos ou nossas lágrimas.

Falando em amizade: muitas foram construídas no Jamcam. Qualquer lugar era lugar para conhecer alguém: na fila do banho, na fila das refeições, nas festas, nas confraternizações, nas atividades. O local realmente não importava, o que é realmente importante é que vamos lembrar com carinho de cada uma dessas pessoas, que trilharam conosco estes novos conhecimentos. Alguns vamos rever, já outros estão a milhares de quilômetros de distância, mas, como dizem, o que ficam são as memórias.

Então, ser escoteiro é muito mais do que ajudar as “velhinhas” a atravessar a rua ou vender biscoitos. Ser escoteiro é renascer a cada dia através de um novo aprendizado.

Ser escoteiro não tem explicação!

Só estando aqui dentro, para saber o que nós vivemos, o que nós sentimos.

É esperar o inesperado, e saber lidar com isso.

Ser escoteiro é força, é garra, é raça. Escotismo não se explica, se vive. Acima de tudo existe um laço chamado AMIZADE. Quem o possui é dono de uma riqueza sem fim….

GESD NO JAMCAM – um olhar dos voluntários

Por Tisa Kastrup, do Clube da Flor de Lis

Tic-tac, tic-tac. A contagem regressiva começa meses antes, às vezes até anos antes de um grande evento, seja ele nacional ou internacional. Jovens e adultos, novos no Movimento Escoteiro ou aqueles irmãos que já estão há décadas no ideal proposto por Sir Baden Powel, todos ficam ansiosos por um grande acampamento. E o JamCam Brasil 2020 não foi diferente.

O GESD participou com uma numerosa delegação de 54 jovens escoteiros e seniores, pioneiros, escotistas, coordenadores e equipe de serviço. Algumas inscrições foram feitas com mais de um ano de antecedência e planejamento é a palavra-chave para ir a um evento desse porte.

Como quase metade da delegação do GESD era composta por integrantes da equipe de serviço designados para as mais diversas funções, nosso ônibus partiu com três dias de antecedência a fim de nos deixar antes no campo. Enquanto isso, os jovens foram recebidos pelos irmãos do Grupo Escoteiro Guairacá em Foz do Iguaçu, para dois dias de passeios em sistema Ho-Ho (home hospitality) antes de seguirem ao JamCam. Foram os dois dias mais difíceis para administrar a ansiedade da garotada!

O tamanho e a organização do JamCam impressionam tanto quanto a variedade e a criatividade das atividades propostas nos módulos. Todos os jovens puderam participar de todos os módulos, em sistema de rodízio.

– Exploração da Natureza:

O cenário natural que motivou a escolha de Foz do Iguaçu para sediar o JamCam tornou-se figurinha carimbada em muitas selfies. Todos os participantes do evento, fossem jovens ou adultos voluntários em seu dia de folga (sim, ganhamos um dia de folga), tiveram oportunidade de conhecer esta maravilha da natureza: as Cataratas do Iguaçu. Os jovens partiam a pé do acampamento logo após o café da manhã, em curta jornada de 2 km pela mata e chácaras da região, até o Parque das Aves, refúgio de aves resgatadas do tráfico de animais silvestres e criadouro de espécies ameaçadas de extinção. Após a visita, embarcavam em ônibus fretados com guias turísticos locais e adentravam o Parque Nacional do Iguaçu, onde faziam a trilha panorâmica de 45 minutos pelas escadarias e passarelas das Cataratas. Na volta, relaxante parada para almoço (sanduíches, frutas, sucos e barras de cereal) e tchibum nas piscinas e toboáguas do Parque Thermas. Todos voltavam em ônibus ao final da tarde pois ninguém é de ferro.

– Energia:

Ofertando quase 50 atividades em terra, o módulo Energia ficava a 5 minutos do campo, para onde os jovens iam a pé, cruzando a Rodovia das Cataratas com a inestimável ajuda da Polícia Rodoviária Federal. Afinal, 1.500 jovens levam algum tempo para atravessar uma estrada e o bloqueio era imprescindível. Com o objetivo de motivar e desafiar as patrulhas, estas atividades criavam um ambiente estimulante, dentro de quatro tipos principais: jogos escoteiros tradicionais, atividades circenses, habilidades manuais e atividades de relacionamento. Com o sistema de entrega de chaves, as patrulhas escolhiam a atividade para qual desejavam ir. Arremesso de machadinha, cross scout, arqueria, fogo sueco, basquete na gangorra. Ao final, voltavam para escolher a próxima, conseguindo participar entre oito e 12 atividades num dia neste módulo, que tinha pausa para o almoço no Centro Escoteiro e terminava com um refrescante banho de caminhão pipa no fim da tarde, ótimo para tirar o excesso de lama!

– Splash:

Distante uns 20 km do Centro escoteiro, as calmas águas do Lago Itaipu ficaram vermelhas de tanto agito. Mais de 50 atividades desafiadoras à beira ou dentro da água foram oferecidas também pelo sistema de escolha de chaves, comandada pela Maderli e pelo Osmar Ponchirolli do GESD. Teve construção de embarcações, jogos aquáticos, boliche humano no sabão, corrida de botes e boias, cabo de guerra com água até a cintura e muita lama, que saía fácil nos mergulhos no lago. E dá-lhe protetor solar e chapéu para encarar o sol. Nas sombras do bosque próximo às margens, pausa para o almoço que era entregue também na forma de kit lanche, pois os jovens iam de ônibus de manhã e passavam o dia todo no ICLI – Iate Clube Lago de Itaipu, sob os atentos e cuidadosos olhares dos Bombeiros, da Marinha do Brasil e dos socorristas de plantão.

– Aldeia Interamericana de Desenvolvimento Sustentável:

As patrulhas participaram de atividades e oficinas dentro dos eixos temáticos: Ciência e Tecnologia, Arte e Cultura, Paz e Compreensão, Sustentabilidade e Saúde. O objetivo era propiciar aos jovens a descoberta das principais questões relacionadas ao desenvolvimento que o mundo enfrenta na atualidade, e assim compreender suas origens, consequências e o que a humanidade pode fazer para avançar. O foco principal foi dar aos participantes habilidades para atuar frente a essas questões em suas próprias comunidades. Educação financeira e empreendedorismo, tolerância religiosa, alimentação saudável e sem desperdícios, tecidos com cera de abelha, pontes sem pregos e sistemas de aquecimento de água via energia solar são amostras do que foi abordado na Aldeia, que ficava no entorno do Centro Escoteiro.

– Dia Interamericano:

As diferentes culturas dos 20 países presentes foram mostradas na Arena do Centro Escoteiro através de muita música, dança, folclore e comidas típicas. Cada país tinha seu estande e apresentava interativamente sua cultura. Os jovens puderam vivenciar a fundo o lema “diversidade que nos une” do JamCam durante a Feira das Nações. O estande do Brasil foi coordenado pelo GESD, através do Marcelo Margraf e da Isabela Oliveira. O Dia Interamericano terminou em uma grandiosa e animada festa, daquelas de sacudir o chão literalmente. Gostaria de ter mais informações e passar um relato mais detalhado sobre este dia, mas foi justamente a minha folga, que aproveitei relaxando por horas na piscina do Thermas, até enrugar a pele!

– Festa e diversão:

Além dos módulos, os jovens tiveram oportunidade de participar diariamente de Cerimônias e Atividades Noturnas (sim, teve muita festa no JamCam!) na arena central e também nos subcampos. Karaokê, folclore, dança, toda a criatividade era permitida, desde que o silêncio reinasse após as 23h já que escoteiro não dorme, escoteiro desmaia!

Já as Atividades Especiais, lideradas pela Larissa Terra do GESD, foram propostas para alegrar os momentos livres dos jovens desde a chegada aos subcampos. Sempre sobrava um tempinho entre o almoço e a saída do campo para um joguinho especial com a patrulha e os novos amigos.

– Comida e compras:

O refeitório fez o milagre de criar um “Madalosso” dentro de um acampamento, servindo diariamente mais de 24 mil refeições sempre de qualidade no café da manhã, almoço e jantar. Uma verdadeira maratona culinária que atendia inclusive celíacos, diabéticos, vegetarianos, veganos, alérgicos e intolerantes à lactose. Como o cardápio praticamente não variava, batia aquela vontade de se jogar numa guloseima. E bora encarar as filas na área comercial para gastar os trocados da carteira escoteira, valiosa contribuição da tecnologia na transformação de dinheiro virtual em potes de açaí, crepes e sorvetes reais. Isso sem contar na mega store de 1.000 m2 que a Loja Escoteira montou lá.

– Hospital:

Todos estamos sujeitos a imprevistos em atividades ao ar livre. Para todos eles, foi montado um hospital com 13 médicos, 6 dentistas, 30 enfermeiros, 40 socorristas (entre eles o Fábio do GESD), 3 ambulâncias de plantão (sendo uma delas UTI móvel) e 4 psicólogos no inovador Listening Ear, um canto para dar apoio emocional a quem precisava. Uma estrutura de fazer inveja a muito posto de saúde.

– Ahhh, mas já acabou?

Tudo isso culmina numa despedida pra lá de emocionada e emocionante. É um tal de chegar com o chapéu do Brasil e ir embora com o lenço do Peru, trocar um copo por um distintivo, levar um chaveiro e voltar com uma pulseira.

Vocês, pais que nos leem e nós, adultos voluntários, recebemos em agradecimento por tantas aventuras, novos amigos e muito conhecimento adquirido nestes dias inesquecíveis uma valiosa “paga” que vem em forma de sorrisos enlameados, abraços suados e lágrimas de felicidade, além de muita roupa suja pra lavar!

Prontos para começar a poupança para o próximo grande acampamento?

Minha Vida Escoteira

Por Helga Rozeira Zinher, do Clube da Flor de Lis

Estou no Movimento escoteiro desde os 17 anos, quando entrei já como assistente de alcateia. O JamCam Brasil 2020 foi o primeiro grande acampamento internacional da minha vida escoteira, embora tenha participado de algumas atividades regionais e distritais. E também da Conferência Interamericana, ocorrida em Curitiba em 1984 onde adultos do mundo todo participaram do encontro de planejamento do Movimento Escoteiro para as Américas.

Agora em 2020 tive a oportunidade, depois de 35 anos, de participar da minha 2.ª atividade internacional, o 16.º JAM 3.º CAM em Foz do Iguaçu. Foi uma experiência maravilhosa! Trabalhei na Equipe Internacional de Serviço na Aldeia Interamericana de Desenvolvimento Sustentável, onde participei da Oficina “Aproveitamento de Alimentos”. Lá os jovens aprenderam a fazer alguns alimentos salgados e doces, bem como sucos, usando ingredientes diferentes e aproveitando todo o alimento sem desperdício.

A oficina foi ministrada pela Pastoral da Criança, com a equipe das senhoras Regina, Karina, Leonilda e Sonia sob a coordenação da Marina. Foi um aprendizado incrível tanto com elas como com os irmãos escoteiros pois a convivência diária trouxe muito crescimento pessoal. As atividades transcorreram de maneira tranquila devido ao entrosamento da equipe da oficina e também pela brilhante atuação da coordenação local e geral das oficinas.

Também tive a oportunidade através deste evento de conhecer Foz do Iguaçu, o Parque das Aves, Thermas das Cataratas e as Cataratas, o que foi muito emocionante. Por fim, esta semana de atividade escoteira, conversas, baile, atividade na qual estive com irmãos escoteiros com quem tenho convivência direta, outros que revi e outros que conheci foi mais uma atividade incrível que deixou lembranças de cada momento.

E agradeço principalmente à Família Santos Dumont por poder participar deste movimento maravilhoso. Sempre Alerta!